Notícias / Política

PLANEJAMENTO

Sair do aperto ou programar o futuro? O que fazer com o FGTS

quarta-feira, 24/07/2019, 08:07 - Atualizado em 24/07/2019, 11:01 - Autor: Alexandra Cavalcanti


| Ney Marcondes

O Governo Federal confirmou que pretende liberar o saque de recursos depositados nas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de trabalhadores formais. Com isso, a expectativa é que cerca de R$ 30 bilhões sejam injetados para estimular o consumo. Falta definir apenas de que forma esses recursos serão liberados.

De acordo com o diretor-técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese/PA), Roberto Sena, existem duas possibilidades. “Uma delas seria liberar as contas inativas, como ocorreu no governo Temer. A outra seria liberar também uma parte do que está nas contas ativas do Fundo. Neste caso, os trabalhadores poderiam sacar anualmente os recursos, na data do aniversário”, explica o economista.

O dinheiro do FGTS seria somado à liberação que o governo também pretende fazer nas contas do PIS/Pasep, de cerca de R$ 20 bilhões, chegando a um total de R$ 50 bilhões para injetar na economia nacional. A expectativa é que as regras para o saque do Fundo de Garantia sejam definidas ainda esta semana.

Além disso, existe a possibilidade de o governo fazer uma ampla reestruturação do FGTS que, entre outras mudanças, prevê a inclusão de limite de saques em casos de demissão sem justa causa.

“Ainda não está nada definido. Se me perguntar se isso (liberar o saque do FGTS) será positivo para a economia, digo que sim, porque uma pequena injeção na economia é sempre bem-vinda. Mas se me perguntarem se isso vai resolver a situação da economia do país, digo que não, porque esse valor injetado não será o suficiente”, avalia.

Nas ruas, a expectativa ainda é tímida sobre a liberação do saque do FGTS, tanto para comerciantes como trabalhadores.

Na opinião do gerente de loja, Fernando Almeida, se o FGTS for liberado para saque, deve haver uma melhora discreta no comércio. “Acredito que alguns segmentos devem ser mais beneficiados que outros, mas de qualquer formahaverá um reflexo positivo no comércio”, projeta.

GUARDADINHO

Quanto à possibilidade de sacar o FGTS, ele é taxativo. “Não pretendo fazer isso, porque acho que essa é a única poupança que o trabalhador consegue fazer ao longo da vida, seja para investir na casa própria, seja para investir em uma faculdade no futuro, por isso não pretendo mexer nesse dinheiro”, revela.

O também gerente de loja, Paulo Franco, acredita que a liberação do FGTS vai trazer uma discreta melhoria para o comércio. “Estamos apostando que sim, porque todo dinheiro a mais que se injeta na economia para o consumo é bem-vindo para o comércio”, prevê. Ele, no entanto, não pretende mexer em seu FGTS. “Prefiro deixar guardado para mais lá na frente usar para uma coisa mais certa, quem sabe a entrada na casa própria”.

O balconista Leonardo Sena também compartilha da ideia que é melhor deixar o dinheiro do FGTS guardado. “A gente nunca sabe como vai ser o futuro, por isso, o melhor é deixar guardado mesmo”, opinou.

Vale ressaltar que, de acordo com a equipe econômica do governo, a eventual liberação de recursos das contas ativas será feita com base no valor do saldo de cada trabalhador. Dessa forma, com as regras estabelecidas até o momento, quanto maior for o montante depositado, menor o percentual que o trabalhador poderá sacar. Os percentuais divulgados podem variar entre 10% e 35%.

 


 

Conteúdo Relacionado


4 Comentário(s)

Exibir mais comentários

MAISACESSADAS