Notícias / Marabá

RASTRO DE SANGUE

Tio e sobrinho são assassinados dentro de casa em Marabá

Os corpos foram encontrados por vizinhos na manhã desta segunda (14)

segunda-feira, 14/09/2020, 20:09 - Atualizado em 14/09/2020, 20:09 - Autor: Alessandra Gonçalves/Diário do Pará em Marabá


A casa onde ocorreu o duplo homicídio
A casa onde ocorreu o duplo homicídio | Divulgação/Polícia Civil

Tio e sobrinho foram encontrados mortos na manhã desta segunda-feira (14), em uma casa no Residencial Magalhães, no Bairro São Félix, em Marabá, sudeste paraense. As vítimas foram assassinadas com vários golpes de arma branca.

O tio foi encontrado caído de bruços, sem camisa, na sala da casa, enquanto que o sobrinho estava em um dos quartos. Ao lado dele uma garrafa de cachaça.

O crime ocorreu em uma área de ocupação. Na casa em que os corpos estavam não tinha móveis, apenas um colchão, uma rede de dormir e algumas panelas. As vítimas também estavam sem documentos.

A Polícia Militar foi acionada por volta de 8h30 para atender a ocorrência de homicídio. Ao chegar ao local, os militares encontraram os dois mortos. “A gente veio aqui e constatou que se tratava de um corpo de um senhor aparentemente 50 anos de idade e fomos olhar no quarto e encontramos mais um corpo, que possivelmente é do sobrinho dele, só que ninguém soube explicar os motivos”, informou o cabo A. Costa, da Polícia Militar.

O corpo do homem mais velho, conhecido como Toim, foi encontrado pelo vizinho Raimundo da Silva Borges. “Eu cheguei encontrei ele lá morto, fui olhar se ele estava morto mesmo, peguei nele e ele estava duro e todo rodeado de sangue. Não dei fé do outro os outros foram que acharam lá dentro do quarto. Não sei quem matou”, disse.

Segundo relatos de vizinhos, o idoso era aposentado e o sobrinho trabalhava como mototaxista clandestino, sendo que este último havia se mudado para o local fazia menos de um mês.

A Delegacia de Homicídios da Polícia Civil investigará a motivação e autoria do crime. Até o início da noite desta segunda-feira (14), os corpos continuavam sem identificação no IML (Instituto Médico Legal) de Marabá.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS