Diário Online

Devotos de Nossa Senhora vão à Basílica para agradecer à santinha pelas graças alcançadas 

Não tem romaria, mas têm muitas graças para agradecer

sexta-feira, 09/10/2020, 08:04 - Atualizado em 09/10/2020, 08:04 - Autor: Pryscila Soares


Movimento de devotos na Basílica e Praça Santuário aumentou com a proximidade do Círio
Movimento de devotos na Basílica e Praça Santuário aumentou com a proximidade do Círio | Wagner Santana/Diário do Pará

A poucos dias para o Círio de Nossa Senhora de Nazaré 2020, os devotos têm intensificado as visitas à Basílica e à Praça Santuário de Nazaré. Na tarde de ontem (08) era possível observar fiéis participando de programações na igreja e também depositando objetos de cera nos carros de promessas. Para eles, é um momento de agradecimento e, também, de fazer preces à Virgem de Nazaré.

Com as restrições na programação da festividade deste ano, há pessoas que optaram por antecipar esse contato mais próximo com a Santa, dias antes do Círio. Foi o caso do servidor público Evandro Valente 31, que mora em Outeiro.

“Vim aqui fazer uma prece. Primeiro para agradecer por tudo que Nossa Senhora tem nos proporcionando. No ramo profissional conquistei novos desafios com um reconhecimento e vim pedir que tenhamos um ano melhor e que essa pandemia acabe. Acompanho todo ano a procissão e infelizmente esse ano não vai ter. Mas o Círio vai ser em casa, com a família reunida em um culto em ação de graças”, garantiu.

Quem também não abre mão de agradecer pela graça alcançada é a dona de casa Amanda Trindade Cardoso, 25. Todos os anos ela participa do Círio com a filha, a pequena Ananda Vitória, 3, que nasceu de forma prematura.

“A gente veio trazer uma promessa que fiz para ela, uma roupa de anjinho que deixei no barco de promessas. Ela nasceu prematura, ficou na UTI por 15 dias. Os médicos falavam que ela não ia sobreviver por ser de 8 meses. Hoje está com 3 anos e com saúde. Foi muita fé, coloquei sempre Deus e Nossa Senhora na frente para dar saúde a ela. O Círio é um momento de fortalecer a fé e as famílias, muitos perderam seus entes. No domingo a celebração vai ser em casa”, destacou a jovem.

Já a psicóloga Mariluz Vidonho, 56, foi à Basílica ontem à tarde com uma missão especial: abençoar uma imagem de Nossa Senhora de Nazaré que ela ganhou de presente do irmão. “Sempre fui apaixonada por imagens que lembrassem porcelana e ganhei essa do meu irmão. Perdemos nossa mãe em fevereiro, ela já estava doente. Está sendo um ano difícil. Só contando com Nossa Senhora para renovar as forças e continuar a vida. Muita gente perdeu e é a nossa fé que nos faz acreditar que tudo vai passar para termos um Círio outra vez”, contou ela, que todos os anos canta no coral na missa de Círio da Catedral de Belém.

PROMESSAS

A Praça Santuário recebeu nos últimos dias muitas promessas, entregues nos carros de promessas do Círio. De cada três devotos que trazem seus ex-votos ao menos dois trazem pulmão. É o que os colaboradores que trabalham no local têm observado. A técnica de enfermagem Débora da Penha, 44, levou a casa em cera para agradecer a graça alcançada. “Trouxe a minha casinha, que já consegui. Ano passado vim na Basílica no Círio e fiz a promessa e hoje já tenho a minha casa e estou pagando o meu pedido, conquistado por intercessão de Nossa Senhora. Era um sonho. A comemoração vai ser em casa”, contou.

A dona de casa Jane Amorim, 39, também aproveitou a tarde para depositar a promessa em um dos barcos. Como uma vela nas mãos, ela disse que há 11 anos fez uma promessa para Nossa Senhora, pedindo a saúde da filha que estava prestes a nascer. E foi atendida. “Trago uma vela desde que minha filha nasceu. Hoje a Ágata tem 11 anos. O Círio vai ser em casa, não dá para passar em branco. Sempre participo da procissão e entrego minha promessa no carro de milagres. O Círio significa fé, união e amor ao próximo”, ressaltou.

Já a serviços gerais Ednilza Marcela Guedes, 25, levou a imagem de uma criança, que representa seu filho William Gabriel, de 5 anos. Junto à família, ela costuma acompanhar todos os eventos do Círio desde a sexta-feira até o domingo. Mesmo com a mudança, ela não esqueceu do seu agradecimento.

“Quando meu filho nasceu foi internado com problema no sangue. Pedi a Nossa Senhora que se ele ficasse bom todo ano pagaria a promessa. No primeiro ano trouxe ele. É a primeira vez que não vou acompanhar a procissão da Sé até a Basílica. Mas vamos nos reunir em família com cada um dando as mãos rezando e orando”, disse.

Manto da santinha vai ser apresentado hoje

EXPECTATIVA

O manto que vestirá a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré nos eventos da 228º edição do Círio será conhecido na noite desta sexta-feira (09). A cerimônia de apresentação ocorrerá logo após a missa das 18h, presidida por Dom Alberto Taveira, na Basílica Santuário. O manto que a Imagem Peregrina usa nas procissões do Círio é um dos símbolos mais aguardados pelos fiéis, e seguirá vestindo a Imagem Peregrina até as vésperas do Círio 2021.

Embora sejam muitos os registros históricos sobre o manto, sua confecção e as tradições que o envolve, isto em nada diminui a ansiedade com que os devotos aguardam a sua apresentação, ávidos por conhecer seus detalhes, seu desenho e o resultado final de todo o processo de confecção. Em 2020 o manto foi desenhado pelo arquiteto Sandoval Ferreira e confeccionado pela estilista Kátia Novelino, que deram início a seus trabalhos ainda em março.

Os responsáveis pelo manto, estilista e designer, são sempre escolhidos pelo casal coordenador da Festa de Nazaré. O Diretor Coordenador, Albano Martins, e sua esposa, Ana Paula Martins, e o Arcebispo Dom Alberto Taveira, foram os únicos a acompanhar o processo de criação, sempre restrito e sigiloso, a fim de preservar a tradição. Vale salientar que os recursos financeiros necessários advêm sempre da doação voluntária e anônima de um casal devoto de Nossa Senhora de Nazaré.

Sandoval foi convidado para desenhar o manto juntamente com sua esposa, Adriana Ferreira. Ele conta como foi receber esse convite tão especial. “Nunca imaginamos que um dia faríamos o manto da Imagem Peregrina. Descrever, com palavras, a emoção que tivemos ao receber o convite, é uma tarefa muito difícil”, diz.

Essa emoção faz parte da vida de Káthia Novelino desde 2018, quando recebeu o primeiro convite para ser a estilista do manto. “É sempre uma alegria e um desafio superar a expectativa das pessoas de um ano para o outro”, explica a estilista. Ela diz ainda que o trabalho exige muita dedicação. “Cada tema demanda pesquisa, imaginação e boas decisões. A escolha do material é muito importante, para definir o tipo de efeito, leitura e impacto que se quer transmitir a partir do tema, através do manto”, conta.

A apresentação do manto é um momento tão aguardado pelos fiéis, que a Diretoria da Festa de Nazaré não poderia deixar de realizar este ano, mesmo sem as procissões. Os devotos poderão acompanhar ao vivo pela TV Círio (YouTube), YouTube da Basílica Santuário, TV Nazaré e TV Cultura. Não será permitida a presença na Basílica, como nos anos anteriores, por conta das restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus.

O manto não tem apenas a atribuição de cobrir a imagem da padroeira dos paraenses. Várias exigências precisam ser cumpridas, como a sua ornamentação, que precisa estar de acordo com o tema do círio de cada ano, assim como as cores, os adereços e os desenhos, que precisam passar uma mensagem ao público. O descritivo do manto será divulgado logo após a apresentação.

Albano e Paula Martins, casal Coordenador do Círio 2020, relatam alegria e tranquilidade com as escolhas feitas, certos de que o talento dos profissionais envolvidos assegura um resultado à altura da Ave Maria Cheia de Graça. “Esperamos que o Manto agrade os devotos de Maria e os fiéis em geral, pois ao povo católico são devidas todas as atenções quando se trata de planejar, organizar e executar o Círio de Nazaré”, afirma o casal.

PARA ENTENDER

Curiosidades

l Entre as personalidades mais conhecidas pela confecção de mantos, está a irmã Alexandra, que pertencia à Congregação Filhas de Sant’Ana, do Colégio Gentil Bittencourt. Ela confeccionava os mantos anualmente, com material doado por promesseiros. Foi assim até sua morte, em 1973.

l Depois dela, a missão foi assumida pela ex-aluna da escola e sua ajudante na tarefa de bordar as peças, Esther Paes França, que chegou a confeccionar 19 mantos.

l A partir daí, vários católicos e estilistas de prestígio já receberam a importante tarefa de produzir o manto usado pela Imagem Peregrina para as procissões do Círio.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS