BICHO ESTRANHO

Peixe bizarro mora no fundo do mar. Conheça!

POSTADO EM: Segunda-Feira, 09/04/2018, 09:36:00
ATUALIZADO EM: 09/04/2018, 09:53:57

zoom_out_map
Divulgação

O fundo do mar possui uma espeécie estranha de peixe: o Pseudoliparis swirei. O animal é pequeno, tem coloração rosa e não possui nenhuma escama. De tão transparente, é possível enxergar seu fígado.

Mas não se engane; mesmo de tamanho diminuto e aparentemente frágil, o animal, apelidado de ‘peixe-caracol Marianas’, é um dos que mais prospera no fundo do mar. 

A espécie foi descoberta em 2014 na Fossa das Marianas, o local mais profundo dos oceanos, localizado no Oceano Pacífico. Um grupo de pesquisadores dos EUA, Reino Unido e Nova Zelândia encontraram espécimes do peixe em uma profundidade de 8 mil metros abaixo do mar. Porém, só recentemente o bicho foi estudado e ganhou uma descrição científica completa.

Estudar sobre as adaptações do peixe-caracol Marianas forneceu novas pistas aos pesquisadores sobre quais tipos de vida podem sobreviver no fundo do oceano.

História

O peixe-caracol Marianas foi encontrado na parte oeste do Oceano Pacífico, mais especificamente na zona hadal, camada mais inferior do mar onde há falta de luz e intensa pressão.

A viagem, empreendida pelos pesquisadores em 2014, tinha como objetivo explorar a Fossa das Marianas e conhecer como os organismos interagiam entre si e como eram capazes de viver com tanta pressão de água acima deles.

Multa de trânsito injusta? Veja como proceder

Esse estudo foi bem trabalhoso – pois, caso você não saiba, a Fossa das Marianas tem uma profundidade de 11 mil metros, maior do que o altura Monte Everest (que atinge uma altitude superior a pouco mais de 8 mil metros.)

O corpo dele não contém nenhum espaço aéreo tal como as bexigas natatórias que os peixes ósseos usam para subir e descer na água. Ao invés disso, ele tem uma camada de gosma gelatinosa debaixo da pele que possibilita que ele flutue e seja mais aerodinâmico.

Suas adaptações também acontecem em nível molecular. Durante os estudos, os pesquisadores encontraram algumas enzimas em seus músculos responsáveis por funcionar debaixo de tanta pressão.

(DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment