INSEGURANÇA

Roubo de motos cresce 34% na Grande Belém

POSTADO EM: Domingo, 19/11/2017, 07:55:27
ATUALIZADO EM: 19/11/2017, 08:08:01

zoom_out_map
Ney Marcondes

O assessor parlamentar Rubens da Costa Pereira é motoqueiro há pelo menos 20 anos. “Prefiro andar de moto porque o trânsito de Belém é muito complicado, seja para trabalhar, para estudar ou para se divertir”, sentencia. Só que até o direito de se locomover a insegurança que impera na capital lhe tirou.Rubens estava em aula, numa faculdade localizada na rua Municipalidade onde cursa Direito. “Quando acabou a aula, por volta das 22h20, saí da sala e, quando eu cheguei para pegar a moto, ela já não estava mais no local onde eu estacionei”, lamentou.

Andar sobre duas rodas em Belém e pelo Estado se tornou uma tarefa cada vez mais perigosa e arriscada. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública, os casos de roubo a motos subiram mais de 20% apenas este ano no Pará, no período de janeiro a setembro, comparando com o mesmo período do ano passado.

Apenas nos seis primeiros meses deste ano, foram roubadas 644 motos em toda a região metropolitana, contra 427 roubos registrados no mesmo período de 2016, o que representa um crescimento de 34% no número de ocorrências.

De acordo com o delegado Thiago Dias, diretor da Divisão de Furtos e Roubos de Veículos as motos roubadas são clonadas, revendidas, levadas para desmanches, utilizadas para a prática de outros crimes e até usadas como moeda de troca por armas e drogas. “A polícia combate esse crime mapeando os locais de maior ocorrência, monitorando e reprimindo esse tipo de crime”, explica.

Segundo a Segup, os bairros onde são registradas as maiores ocorrências são Marco, Campina, Pedreira, Parque Verde e no Umarizal. Na região metropolitana, Ananindeua lidera as ocorrências.

O roubo da moto de Rubens ocorreu dia 6 passado e até a última sexta-feira, 11 dias depois, Rubens não havia conseguido recuperá-la. Apesar da frustração e do medo, o assessor já deu entrada para comprar outra moto. “A falta de segurança atinge motoqueiros, motoristas de carro e de bicicleta. Não tem jeito. Prefiro comprar outra moto. Já tive carro e não aguentei o trânsito aqui de Belém”, diz.

Perigo faz muitos proprietários pensarem em trocar de veículo 

O medo se tornou a companhia mais constante dos condutores de moto. Muitos pensam em vender o veículo. Os que ainda se arriscam andam sobressaltados, olhando sempre para trás e para os lados e sempre que possível acompanhados. Muitos desistem e trocam o veículo de duas rodas pelo de quatro.

A técnica em Enfermagem Suany Gadelha pilota motos há quatro anos. “Sempre preferi motos, mas, depois que tive a minha roubada, eu e meu marido decidimos comprar um carro”, confessa. Ela teve a Honda Bizz 2015 roubada da porta da sua casa por entre as 23h do dia 31 de julho e as 8h do dia 1 de agosto passado.

Antes do roubo, Suany chegava à sua casa com o marido por volta da meia-noite: “Meu marido tinha a mania de deixar a moto na calçada, subir, tomar banho, comer e depois pôr a moto para dentro. Acho que os bandidos perceberam isso e aproveitaram o intervalo para furtá-la”.

A moto foi recuperada depois da oferta de uma recompensa de R$ 1 mil. “Agora temos um carro para onde nos deslocarmos para o trabalho e locais mais distantes. A moto, usamos apenas para ir a lugares com garagem ou próximos”, conta.

Para ela, não é seguro andar de moto em Belém. Suany conta que, depois que conseguiu recuperar a moto, comprou um cadeado e colocou GPA. “Mesmo assim, tentaram roubá-la novamente tentando quebrar o cadeado. Depois da tentativa de arrombamento, eu comprei um com alarme. Então, tentaram roubar de novo, mas dessa vez o alarme espantou o bandido. Foi aí que decidi comprar um carro”, conta.

DICAS PARA EVITAR O ROUBO DE SUA MOTO

TRAVAS E CORRENTES

Se puder, utilize correntes específicas para motos, com revestimento de plástico. Quem tem um pouco mais de recurso pode comprar uma trava para moto, equipamento que trava o disco ou a coroa da motocicleta. Ela é menor e mais fácil de transportar do que a corrente, além de ser mais difícil de ser violada. Alguns modelos de travas possuem alarme.

RASTREADORES PARA MOTOS

Sem dúvida, o rastreador é o item de segurança mais completo e eficiente do mercado que utiliza tecnologia para rastrear motos por Radiofrequência e GPS/GPRS (tecnologia ainda não disponível por aqui).

ALARMES PARA MOTOS

O alarme também é um grande aliado para evitar roubos e furtos. Os modelos específicos para motos são menores e feitos para suportar as vibrações do veículo e as diversas condições às quais ele é sujeito, como chuva e sujeira.

ESTACIONAMENTO SEGURO

Sempre que possível, estacione a moto em um local que você possa vê-la e que seja movimentado, como lugares próximos a comércios ou portarias de prédios. Ruas desertas são um convite para os bandidos. Outra dica é estacionar a moto em um local que não seja facilmente acessível. Se for difícil tirar a moto do lugar, ela será um alvo menos tentador. 

MUDE SEU TRAJETO

Evite fazer o mesmo trajeto todos os dias, mesmo que essa mudança torne o caminho mais longo. Fazer sempre o mesmo caminho facilita a vida dos assaltantes, que poderão analisar qual o melhor lugar e momento para “dar o bote”. Seja imprevisível no seu roteiro e garanta a segurança da sua moto.

(Luiz Flávio/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment