COMPORTAMENTO

Por quanto tempo você consegue ficar sem usar seu celular?

POSTADO EM: Domingo, 10/03/2019, 08:20:02
ATUALIZADO EM: 10/03/2019, 13:32:32

zoom_out_map
Divulgação

"Por quanto tempo você consegue ficar sem usar seu smartphone?”.

Essa foi a pergunta foco de uma pesquisa realizada pelo Ibope Conecta, onde duas mil pessoas foram ouvidas em todo o país. Do total,52% dos entrevistados afirmaram não conseguir ficar um dia inteiro sequer longe do aparelho.

No caso do bacharel em Administração Bruno Chaves, 29 anos, esse período é menor. Ao se ver diante da mesma pergunta realizada pela pesquisa, o jovem estima que consiga ficar no máximo 20 segundos sem conferir o smartphone.

“Com o meu trabalho não tem como se afastar tanto do celular ou da internet”, justifica. “Se eu estiver com o celular porperto, fico o tempo todo conferindo se não chegou mensagem. Às vezes o celular nem tocou, mas a gente fica com a sensação de ter ouvido o barulho da mensagem”.

Bruno lembra que já aconteceu de ele esquecer o aparelho em casa, ao ter saído para trabalhar. Para que não ficasse por um período ainda maior sem o telefone, ele lembra que, na primeira oportunidade, retornou para casa para buscar o smartphone. “No meu intervalo de almoço, fui buscar. É muito complicado ficar sem porque tem uma série de informações que eu preciso e que estão no celular”.

Para a pedagoga Larissa Carvalho, 23 anos, o intervalode tempo que ela ficasem usar o smartphone é o período em que está dormindo. Assim como Bruno,ela justifica que utiliza bastanteo celular para atividades do trabalho. “Além de ser uma ferramenta pessoal, ele também é uma ferramenta de trabalho. Eu utilizo o celular para ficar em contato direto com os professores. Então, se eu ficar sem, o dia fica complicado”.

Já o universitário Luan Quadros, 19 anos, precisou ficar bem mais tempo sem acesso a um smartphone. Ele conta que, certa vez, teve o celular roubado e, por causa disso, passou um período de seis meses sem celular.

Apesar de também necessitar do aparelho paraos contatos do estágio que ele faz, Luan conta que tenta equilibrar o uso. “Eu tento controlar principalmente à noite. Eu me acostumei a deixar o celular na estante, bem longe da cama, e eu percebi que comecei a dormir melhor depois disso”, conta. “Antes, quando o celular ficava debaixo da minha cama, eu ficava até 2h,3h mexendo no celular”.

ALERTA

A partir do momento emque o uso da tecnologia começaa afetar o sono oumesmo o relacionamento pessoal do indivíduo, acende-se um alerta. Doutora em psicologia comportamental, a psicóloga clínica e professora da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Patrícia Neder, aponta que há cerca de 10 anos a situação de possível dependência causada pelo uso de tecnologia já vem chamando a atenção de especialistas.

“É como se tivesse um sistema de recompensa no cérebro. Porém, o prazer gerado pelo uso da tecnologia é temporário”, considera, ao avaliar a condição de uma pessoa que já está em estado de dependência da tecnologia.

“Aquele tempo em que a pessoa está utilizandoo aparelho ela tem prazer, mas depois sente um vazio, uma solidão, passa a ter a percepção distorcida de que ninguém curte ela e isso pode gerar até um estado de depressão”.

Patrícia destaca que esse tipo de situação é vista até com certa frequência, principalmente entre os jovens e adolescentes.“Nessa fase da vida, normalmente,as pessoas aindas ão muito ligadas à opinião dos outros e eles ficam, às vezes, mais preocupada sem registrar com fotos o que estão fazendo, do que realmente viver aquele momento”, considera.

“Em alguns casos, esses jovens ficam extremamente dependentes desses comentários e da própria tecnologia. Aí a gente já vê uma distorção, já não é saudável porque essa dependência pode interferir nas habilidades sociais e de interação da pessoa”.

Os dados coletados pela pesquisa realizada pelo Ibope Conecta e publicados pelo portal Uol foram levantados em outubro de2018. Ao todo, foram ouvidas pela internet 2.000 pessoas de todo o país.

(Cintia Magno)

LEIA TAMBÉM



COMENTÁRIOS mode_comment