X

Destaques no DOL

MANDADOS

Dois homens são presos por roubos no Marco

POSTADO EM: Terça-Feira, 12/02/2019, 10:41:56
ATUALIZADO EM: 12/02/2019, 10:49:02

zoom_out_map
Celso Rodrigues

A equipe de Polícia Civil da Delegacia do Marco cumpriu, ontem, dois mandados de prisões contra dois homens acusados de estarem envolvidos em roubos no bairro. Um destes presos é Fabrício Barbosa dos Santos, de idade não divulgada, que, junto de outros dois acusados, teria participado no assalto a um caminhão frigorífico, no ano de 2007. Parte da carne que foi saqueada de dentro do veículo, na época, foi encontrada na casa dele. Fabrício nega, até hoje, que tenha participado do crime e disse que foi a ex-mulher dele quem teria ajudado a saquear o caminhão e levar a carga (cerca de 50 quilos de carne) para casa.

Para o delegado Arthur Nobre, que chefiou a operação de cumprimento das ordens judiciais, a história de Fabrício chama a atenção pelo fato que a guarnição iria cumprir, na verdade, um mandado de prisão preventiva por ele não ter pagado a pensão alimentícia para a ex-companheira. “Quando retornamos à delegacia com ele foi que nós verificamos no sistema que ele também tinha mandado de prisão por roubo”, frisou Nobre.

CHOROU

Fabrício chegou a chorar na delegacia e disse que era inocente e que não cometeu nenhum roubo. “No dia em que este caso aconteceu, eu estava dormindo e acordei com a minha ex chegando em casa com a carne”, contou. “Até falei para ela que isso era errado”, acrescentou o acusado. A mesma ex-companheira foi a que o denunciou por não pagar pensão.

Questionado sobre como teria sido este assalto ao frigorífico, ele não respondeu. Lembrou que ele e outras pessoas foram presas na época. “Eu e mais dois pais de família fomos presos”, respondeu. A prisão dele por este processo de roubo é por sentença condenatória. 

O outro preso, também por sentença condenatória, foi Roberto Yuri da Silva Araújo, de 23 anos. Em 2015, ele e outros dois rapazes, cujos nomes não foram divulgados, foram detidos acusados de estar praticando assaltos. 

Yuri admitiu o caso e disse que desde que tinha ganhado liberdade não tinha mais se envolvido com a criminalidade – inclusive, alegou que estava trabalhando e ganhando a vida honestamente. 

De fato, de acordo com a polícia, não havia nenhuma denúncia recente contra o rapaz. Yuri foi condenado a 5 anos e 4 meses de prisão. O caso dele agora está na Justiça.

(Denilson D'almeida/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment

EXIBIR COMENTÁRIOS

Fim da consulta. Deseja realizar uma busca? Clique Aqui

Aguarde, carregando mais notícias...