CRIME BÁRBARO

Mulher é torturada e quase morta por dez homens no dia do aniversário dela

POSTADO EM: Quinta-Feira, 11/01/2018, 15:34:33
ATUALIZADO EM: 11/01/2018, 15:34:33

zoom_out_map
Divulgação PM

Uma mulher de 28 anos afirmou que “nasceu de novo”, no dia do aniversário dela, comemorado na última quarta-feira (10), após ter sido torturada e quase morta por cerca de dez homens, em Manaus (AM).

As agressões deixaram graves marcas na vítima, que trabalha como cuidadora de idosos: ela teve o braço esquerdo fraturado, cabelos cortados com uma faca e foi arrastada por uma área de mata nas proximidades de um conjunto chamado Viver Melhor.

Segundo a vítima, que não teve o nome revelado, ela sofreu a tentativa de homicídio por tentar proteger o filho de uma amiga, que estava sendo acusado de roubar um apartamento. O jovem estava na casa da mulher, e o grupo levou os dois para uma área de mata, dentro do mesmo conjunto.

No mato, o grupo amarrou o amigo da vítima a uma árvore e o agrediu. Os vizinhos, que viram a movimentação dos dez homens, chamaram a polícia, e a chegada de uma viatura afugentou os acusados. A mulher conseguiu desamarrar o jovem que estava sendo agredido, mas o grupo voltou e conseguiu capturá-la de novo.

Sessão de tortura e ameaça de morte

Enquanto era torturada por parte dos homens do bando, o resto dos acusados foi até a casa da mulher e roubaram televisão, ar-condicionado, roupas e até um carro que o marido dela havia alugado para passear durante o aniversário, garante a vítima.

As filhas da mulher, de 6 e 8 anos, estavam no momento em que os homens entraram no apartamento e presenciaram toda cena.

A mulher conta, ainda, que os homens chegaram a ligar para um presidiário e perguntar se teriam permissão para matá-la. O detento afirmou que ela deveria ser morta no lugar do jovem que fugiu.

A vida da vítima foi salva, mais uma vez, pela chegada de viaturas da Polícia Militar, que continuavam as buscas por ela. O grupo se assustou e largou a mulher nas proximidades de um barranco.

Um dos acusados da agressão - identificado como Caio César Colares Pinto, de 21 anos - foi preso, logo em seguida, andando por uma área do mesmo condomínio. Ele foi reconhecido pela vítima.

A mulher afirmou, por fim, que irá se mudar do local, com medo de que os criminosos tentem algum tipo de vingança contra ela e contra a família dela.

(Com informações do portal Em Tempo)



COMENTÁRIOS mode_comment