DINHEIRO PÚBLICO

PF investiga desvio de merenda escolar no Pará

POSTADO EM: Quinta-Feira, 20/04/2017, 07:30:31
ATUALIZADO EM: 20/04/2017, 15:05:27

zoom_out_map
Agência Brasil

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (20) a Operação Chiken, que investiga o desvio de recursos públicos na merenda escolar da rede estadual de ensino do Pará. Segundo dados apurados pela PF, a estimativa é que a ação criminosa tenha causado um prejuízo superior à R$ 1,6 milhão através da duplicação de Notas de Entrega dos repasses federais à merenda.

O caso está sendo investigado desde 2016. De acordo com a PF, os envolvidos recebiam os recursos através do Programa Nacional de Alimentação Escolar, mas duplicavam as "Notas de Entrega", fazendo cópias dos documentos, fazendo com que recebessem o dobro do valor efetivamente utilizado na compra da merenda. A investigação ainda apontou que o esquema ainda utilizava recursos para comprar produtos diversos ou de qualidade inferior ao estipulado na nota. Em alguns casos, os envolvidos realizavam a compra de coxas e sobrecoxas quando se havia feito o pagamento por filé de frango.

De um total de 1383 guias de entrega analisadas, 798 haviam sinais de terem sido duplicadas e 111 de terem sido triplicadas. Entre as escolas envolvidas, está a Escola Estadual Deuxita Pereria Queiroz, no município de Redenção, cuja documentação apontava o recebimento de R$ 1.764kg de frango, quando na verdade os policiais constataram a entrega de apenas 882kg. Entre as unidades mais afetadas, estão as Escolas Estaduais José Maria de Moraes, Eduardo Angelin, Presidente Dutra e Palira Gabriel, todas em Barcarena.

Ao todo, foram cumpridos 8 mandados de busca e apreensão e 7 de condução coercitiva. Participaram da Operação 28 policiais federais e 6 policiais civis.

Seduc aguarda resultados de operação da Polícia Federal

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc) informou, através de nota, que a operação foi consequência da iniciativa da própria Secretaria, que no ano passado, após detectar irregularidades no serviço, iniciou uma apuração com o auxílio da Auditoria Geral do Estado e da Polícia Civil.

Confirmadas as irregularidades, que envolvem recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), o governo do Estado acionou a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual, tendo sido aberto inquérito na 3ª Vara Criminal Federal da Seção Judiciária do Pará.

(Com informações da Polícia Federal)



COMENTÁRIOS mode_comment