TRANSTORNOS

Paralisação de rodoviários afeta oito linhas de ônibus em Belém

POSTADO EM: Quinta-Feira, 14/03/2019, 07:21:53
ATUALIZADO EM: 14/03/2019, 10:24:21

zoom_out_map
Toni Gonçalves/Rádio Clube

Desde o início da manhã desta quinta-feira (14), os portões da garagem que abriga 180 ônibus da empresa Monte Cristo estão fechados, impedindo a saída de oito linhas de ônibus para as ruas de Belém e Ananindeua, Região Metropolitana.

Por conta do manifesto, entre as linhas que a empresa atende, estão suspensas: CDP Providência, Pedreira Lomas, Pedreira Nazaré, Sacramenta Humaitá e Sacramenta São Brás (Paraíso dos Pássaros).

Sob palavras de ordem e com o auxílio de um carro som, manifestantes reclamam da falta de pagamento das horas extras, além da falta de segurança e outras questões trabalhistas.


(Foto: Toni Gonçalves/Rádio Clube)

“É um verdadeiro absurdo o que a empresa tem feito com os trabalhadores, que foi retirar as horas extras dos trabalhadores. Sem contar o intervalo, que a empresa se recusa a dar o intervalo. Esses são alguns dos pontos, mas tem muito mais”, desabafa Everton Paixão, vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Pará (STTREPA).

Paixão revelou também que a categoria é obrigada a não devolver o dinheiro aos passageiros quando o veículo em que estão apresenta problemas e atribui isso à ordem dos próprios empresários. “Eu quero deixar bem claro para a população que, quando o ônibus “dá prego” na rua, o motorista é obrigado a passar os passageiros para outro ônibus e não pode devolver o dinheiro da passagem. Se ele fizer, corre o risco do motorista e cobrador pagarem a renda. A população precisa saber disso!”, afirma.

Nas redes sociais, internautas ficaram indignados:

O DOL entrou em contato com a empresa Monte Cristo que, por telefone, informou que os representantes estão em reunião tratando sobre o assunto.  

(DOL com informações de Toni Gonçalves/Rádio Clube)

LEIA TAMBÉM



COMENTÁRIOS mode_comment