EDITORIAL

'Tirando o corpo fora: a covardia do governo Jatene'

POSTADO EM: Terça-Feira, 09/10/2018, 12:21:27
ATUALIZADO EM: 09/10/2018, 13:18:21

zoom_out_map
Reprodução

A morte do capitão da PM Paulo Afonso, assassinado na terça-feira (8), no Distrito Industrial, marca com sangue, mais uma vez, a incompetência e covardia do governo Simão Jatene quando o assunto é Segurança Pública. Na verdade, vivemos no Pará o caos da “insegurança pública”.

Incompetência por sempre tirar o “corpo fora” do problema e não revelar dados alarmantes, como o assassinato de quase 30 mil pessoas nos últimos oito anos do governo do PSDB no Pará.

A morte do capitão Paulo Alfonso é a quadragésima de agentes de segurança só este ano no Pará, que só perde para o Rio de Janeiro, Estado que tem o triplo da população do nosso Estado.

O Governo do Estado é covarde porque sucateou as Polícias Militar e Civil, arrochou salários dos agentes de segurança pública e não desenvolveu nenhuma política pública capaz de garantir o direito básico do cidadão à vida.

A covardia se traduz também quando o Governo Jatene ao ser questionado sobre o aumento incontrolável de homicídios, diz que tudo não passa de uma questão nacional. É mentira, acuados pela violência, Estados como  São Paulo, Santa Catarina e Espírito conseguiram resolver o problema e diminuir seus índices, dando segurança à população no últimos anos.

O Pará vive um caos em todas áreas e isto se reflete na violência absurda que obriga famílias a se esconderem atrás de grades, no aumento do tráfico de droga, nas milícias que tocam o terror nos subúrbios e obrigam o cidadão de bem a conviver com o medo e o pânico todos os dias.

Enquanto Jatene tira seu corpo fora, num fim de governo lamentável para o povo, corpos se espalham num mar de sangue por todo o Pará, todos os dias. A sociedade não aguenta mais velar mortos. Isto tem que acabar de uma vez por todas.



COMENTÁRIOS mode_comment