VIOLÊNCIA

Estupros de vulneráveis: número de casos sobe 5% no Pará

POSTADO EM: Domingo, 08/07/2018, 09:51:47
ATUALIZADO EM: 08/07/2018, 09:52:40

zoom_out_map
Divulgação

O número de registros de estupro de vulnerável cresceu 4,75% no Pará, segundo dados do Sistema de Informação de Segurança Pública (Sisp). De 1º de janeiro de 2018 a 31 de maio de 2018, exatos 1036 ocorrências foram registradas na Polícia Civil, enquanto que neste mesmo período do ano passado foram 989 ocorrências. Em média, são quase 7 ocorrências registradas por dia no estado.

Em Belém, que é a capital paraense, somente nos 5 primeiros meses deste ano registrou 137 casos entre janeiro a maio. No mesmo período do ano passado foram 143 ocorrências na Polícia Civil.

Conforme prevê a legislação brasileira o estupro de vulnerável consiste na prática de conjunção carnal ou outro ato libidinoso com uma pessoa menor de 14 anos ou contra uma pessoa que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.O caso mais recente que ganhou repercussão na mídia aconteceu esta semana em Barcarena, nordeste paraense. Um homem foi preso pela Delegacia Especializada no Atendimento à Criança e Adolescente (Deaca) acusado de estuprar uma criança de apenas 3 anos de idade.

O suspeito preso não teve o nome divulgado, mas ele ainda responde a outro processo por porte ilegal de arma. Ele foi o terceiro preso por estupro de vulnerável no intervalo de 10 dias na cidade.

No último dia 25, um homem também foi acusado do mesmo crime. A vítima foi uma menina de 13 anos, e no dia seguinte, outro homem foi preso também em cumprimento a mandado de prisão preventiva por estuprar uma adolescente, que, na época do crime, tinha 13 anos.

Barcarena registrou entre janeiro a maio deste ano 16 casos de estupro de vulnerável.

MAIOR NÚMERO DE CASOS

Belém, como já foi dito anteriormente lidera o número de registros de estupro de vulnerável. Já foram pelo menos 137 ocorrências este ano. Santarém, no oeste paraense, é a segunda cidade paraense com o maior número de casos de estupro de vulnerável registrado. Foram 52 entre janeiro a maio. Ananindeua, na Região Metropolitana, está em terceiro, com 51 ocorrências registradas.

No ano passado, neste mesmo período dos 5 primeiros meses do ano, estas mesmas cidades lideraram o o ranking de registros de estupro de vulnerável. Em Belém foram 143 ocorrências, Ananindeua com 51 e Santarém com 43.

OUTRAS CIDADES

Em Placas, no oeste paraense, e Mãe do Rio, nordeste do Estado, o número de ocorrência de estupros de vulneráveis aumentou 400% entre janeiro a maio de 2017 e janeiro a maio de 2018. Neste período, do ano passado, em Placas foi registrado apenas um caso. Já este ano foram cinco. Em Mãe do Rio, as ocorrências registradas cresceram de dois para dez registros.

Ainda levando em consideração os dados por municípios, em Garrafão do Norte, Jacundá e Santa Luzia do Pará o aumento do número de registros de estupro de vulnerável cresceu 300%.

PERIGO EM CASA

No geral, a maioria dos casos de estupro de vulnerável acontece no ambiente doméstico e envolvem os próprios familiares das vítimas, quando não amigos próximos. Por isso, é importante pais e mães, a família em geral, observar o comportamento das crianças. A primeira mudança no comportamento já pode indicar que algo está acontecendo dentro de casa.

(Denilson D`almeida/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment