TRANSTORNOS

Muito caos para pouco espaço em avenida da Grande Belém

POSTADO EM: Quinta-Feira, 14/06/2018, 08:30:41
ATUALIZADO EM: 14/06/2018, 08:41:17

zoom_out_map
Fernando Araújo/Diário do Pará

Há cerca de três meses, um quilômetro da avenida Laércio Barbalho, a antiga Independência, está interditado por causa de obras da Prefeitura de Belém. O trecho fica entre a avenida Augusto Montenegro e a travessa Henrique Dias, onde a faixa no sentido do bairro do Coqueiro está totalmente bloqueada, enquanto que a no sentido do Parque Verde está dividida por uma fileira de barricadas de concreto para dividir os dois sentidos da via.

Além do trânsito caótico instaurado no perímetro por causa do volume de carros que usam a via e o pouco espaço para tráfego, a falta de sinalização tem causado acidentes constantes. “Eu tenho de dar a volta lá pelo Sideral agora porque não tem mais condições de vir por aqui”, relata o motorista Johnee Tobias, 23. Às vezes, ele demora quase uma hora só para alcançar a Augusto Montenegro, o que tem atrapalhado sua rotina.

Os engarrafamentos têm facilitado, inclusive, a ocorrência de assaltos. Segundo Wesley Pinheiro, 36, que trabalha em uma oficina na esquina da Henrique Dias, onde se inicia a intervenção, os crimes são diários. O mecânico ressalta ainda a falta de suporte de agentes de trânsito para desafogar o congestionamento. “Não tem ninguém. Motorista leva 40 minutos só para chegar ao sinal. As motos passam pelas calçadas a ponto de atingir os pedestres”, denuncia, pontuando que os acidentes também se tornaram comuns. “Não tem sinalização. Recentemente uma morreu porque bateu no batente”, conta.

A atendente de caixa Maria das Graças, 43, moradora do entorno, reclama principalmente da dificuldade em atravessar a avenida. “Tem muito acidente com os pedestres. Não tem sinalização e os carros não param, está um caos”, diz.

Outro ponto levantado é o transporte público. Algumas linhas de ônibus pararam de passar pelo perímetro e agora os moradores são obrigados a andarem quadras e mais quadras até a Agusto Montenegro. Eles esperam até duas horas para sair do bairro. “E o pior é que isso aí está parado. Eles interditam para fazer a obra, mas ela não avança”, critica.

A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém informa que mantém agentes de trânsito em ronda por toda a via.

PARA ENTENDER

O que diz a prefeitura

- A Secretaria Municipal de Urbanismo informa que as obra BRT foram suspensas por cerca de uma semana em decorrência da greve caminhoneiros e que já foram retomadas esta.

- Neste trecho, o Consórcio BRT estima concluir as atividades em 20 dias, liberando o tráfego. Depois disso será feita a mudança do fechamento da via para o outro sentido, com prazo de 60 dias.

(Arthur Medeiros/Diário do Pará)

Clique e veja como está o trânsito em toda Belém nesse momento.




COMENTÁRIOS mode_comment