DIA DELE

Para hoje, todos os votos são de Santo Antônio

POSTADO EM: Quarta-Feira, 13/06/2018, 07:34:02
ATUALIZADO EM: 13/06/2018, 07:34:02

zoom_out_map
Daniel Pinto/Arquivo

Hoje celebra-se o Dia de Santo Antônio, um dos mais populares do Brasil, a quem devota-se a crença de arranjar casamentos. Além dos pedidos e das orações ao casamenteiro, também é comum nessa época, em Belém, a procura por banhos de cheiro para atrair o amor, numa ação de fé e esperança na busca do amado. Embora as erveiras tenham relatado movimento fraco ontem, Dia dos Namorados, não faltam receitas e histórias para conseguir um amor.

Dona Sueli Silva, 52, erveira há 38 anos no Mercado do Ver-o-Peso, ensina que antes de tudo é preciso crer que é possível se relacionar de forma equilibrada e duradoura. Segundo ela, esse é o primeiro passo para encontrar um parceiro. E acreditar também no poder das ervas e dos banhos.

Para quem está encalhado, ela aconselha que primeiro se faça o banho de “abre caminhos” e depois o combinado de ervas. “Faz primeiro com ‘desempata’, ‘abre caminho’ e ‘desatrapalha’. Usa os banhos de atrair. Depois, vem com agarradinho, chega-te a mim, chora nos meus pés, busca longe, corre atrás e folha de chama. Escreve sete vezes o nome da pessoa em um papel, se quiser que ela fique bem chameguenta, e coloca junto com as ervas, no banho macerado. Deixa pegar a força do tempo, o sol da manhã. Duvido contigo se não funciona. Eu pegava até alma”, ensina.

DESCONFIANÇA

Sueli supõe que o movimento no Dia dos Namorados pode ter sido menor pela descrença dos mais jovens na tradição amazônica dos banhos e pelo formato dos relacionamento contemporâneos, notadamente menos duradouros e com formatações diversificadas. “Não fazem mais namorados como antigamente, aquele ar romântico. Tudo está mudando, para começar, e isso acaba afetando a nossa venda também. Hoje em dia, namora num dia, acaba no outro, casa e descasa. Tem de tomar banho para ficar agarrado”, conlclui a erveira que aprendeu com a mãe e com a avó, família natural de Igarapé-Miri, no nordeste do Pará.

Na barraca da famosa Dona Beth Cheirosinha, alguns clientes compareceram para comprar seus produtos, mas não como o esperado. A sua filha, Áurea Cheirosinha, contou que o movimento maior será no dia 24, quando celebra-se o dia de São João. “Algumas pessoas vieram para procurar o atrativo do amor, mas foi fraco. Vamos aguardar São João”, disse.


(Dominik Giusti/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment