MARAJÓ

Morre criança vítima de contaminação por raiva humana

POSTADO EM: Terça-Feira, 15/05/2018, 21:08:19
ATUALIZADO EM: 15/05/2018, 23:32:12

zoom_out_map
Ascom HRPM

Uma criança morreu na tarde desta terça-feira (15) vítima da contaminação por raiva humana. Ela estava internada no Hospital Regional de Breves, na Ilha do Marajó. Com ela, sobe para seis o números de pacientes mortos vítimas da doença no Pará.

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) notificou 12 casos suspeitos, todos na localidade de Rio Laguna, município de Melgaço, no Marajó. Outras cinco crianças e um adulto continuam internados em estado grave em Belém e em Breves.

PREVENÇÃO E INVESTIGAÇÃO

Nesta segunda-feira (14) foram enviadas mil doses de vacinas antirrábicas e 300 frascos de soro antirrábico. As ações foram intensificadas na localidade de Rio Laguna, cerca de 70 km de Melgaço. Até o momento, já foram vacinadas 500 pessoas e entregues mosquiteiros para a população.

O trabalho de investigação e prevenção também continua na localidade. Atualmente são 12 casos notificados de raiva humana: seis óbitos, sendo um confirmado para a doença. Quatro crianças continuam internadas na Santa Casa de Misericórdia, em Belém, e mais dois no Hospital Regional de Breves, sendo um adulto; a maioria está em estado grave.

HISTÓRICO

A Sespa esclarece que casos confirmados de raiva humana no Pará não ocorriam desde 2005, quando 15 foram registrados no município de Augusto Corrêa e 3 em Viseu (nordeste paraense) – todos por transmissão de morcego hematófago.

No caso de Portel (município do Marajó), os últimos casos de raiva humana ocorreram em 2004, atingindo 15 pessoas – também todas transmitidas por morcego hematófagos, assim como os seis casos confirmados em Viseu, no mesmo ano.

(Com informações da Agência Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment