ABANDONADOS

Moradores precisam 'se virar nos trinta' sem uma parada de ônibus adequada

POSTADO EM: Domingo, 15/04/2018, 14:01:46
ATUALIZADO EM: 15/04/2018, 14:22:09

zoom_out_map
Divulgação/DOL

O DOL recebeu na manhã de hoje (15) a reclamação de moradores do Conjunto Jardim Maricá, localizado na avenida Augusto Montenegro, no bairro do Parque Guajará, em Belém. Eles denunciam a falta de uma parada de ônibus digna, depois a anterior (que já estava ruindo) ser derrubada em um acidente de carro “há mais de dois meses”.

Imagem registrada pelo dispostivo Google Imagens em 2017 mostra como era a parada de ônibus antes do acidente (Foto: Reprodução/Google Imagens)

”Nesses dois meses têm chovido muito e todos aqueles moradores que se servem dessa parada ficam desprotegidos. A cidade é parte integrante de sol e chuva, que o prefeito por ser natural e administrar a cidade não sabe dessa intempérie, denotando a sua total incapacidade em gestão”, desabafa o morador.

A queixa é centrada no clima da cidade, uma vez que, se não são os dias ensolarados e quase insuportáveis, são as constantes chuvas, criando transtornos para a população que já enfrenta um trânsito naturalmente complicado por causa das obras do BRT naquele trecho e de ônibus sucateados que rodam na cidade.

Após o acidente, a parada foi removida e até então não há nada no lugar (Foto: Imagem cedido ao DOL)

Além da denúncia, o DOL recebeu também imagens do que seria a atual parada de ônibus, responsável por abrigar moradores do conjunto e de áreas adjacentes. A cobertura totalmente inadequada é identificada hoje como “banca de revista”, pois teria sido usada por uma vendedora de jornais.

"A barraca com sua estrutura danificada era de uso de uma senhora que vendia jornais e após ser batida por um carro de grande porte, continuou sem que a prefeitura a retirasse e nem sequer programasse a colocação de uma outra parada, já que a antiga parada também sofreu danos nas mesmas condições", explica o denunciante.

A banca de jornal que também foi afetada no acidente de trânsito é o abrigo da população nos climas adversos (Foto: Imagem cedida ao DOL)

”É dever de qualquer cidadão denunciar tudo aquilo que a administração pública não venha a corresponder. O abandono em todas essas cercanias são decorrentes da incapacidade do prefeito que não cumpre com o dever de saber administrar”, critica.

Diante a denúncia, o DOL procurou a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) para saber o que eles podem fazer a respeito do caso e se há uma previsão para a instalação de uma ponto de ônibus adequado naquela área.

(DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment