INTERVENÇÃO

Ministro oficializa criação de Centro de Segurança em Belém

POSTADO EM: Sexta-Feira, 13/04/2018, 07:31:28
ATUALIZADO EM: 13/04/2018, 07:31:28

Helder Barbalho se reuniu com o presidente Michel Temer, o ministro Raul Jungman e parlamentares do Estado, como os deputados federais Elcione Barbalho, Simone Morgado, Francisco Chapadinha e Lúcio Vale (Foto: divulgação)

O ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, vai oficializar hoje a criação do Centro Integrado de Inteligência e Controle para o Combate ao Crime Organizado do Brasil, que será sediado em Belém. Ontem, o ex-ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, acompanhado de parlamentares que representam o Estado em Brasília, entregou ao presidente da República Michel Temer o pedido de criação do órgão, que já está em operação no Nordeste, tendo Fortaleza como base.

Michel Temer acenou positivamente à solicitação, após tomar conhecimento da necessidade de este Centro se instalar na capital paraense, que atravessa uma grave crise no sistema de segurança pública.

“Nossa intenção é, a partir da união da bancada paraense e da disposição do Governo Federal, buscar uma solução e investigar a onda de violência que toma conta do nosso Estado. É fundamental pulso forte para que os governos, trabalhando em conjunto, devolvam a paz à população”, declarou Helder. “A criação desse centro é resultado dos nossos esforços para restabelecer a segurança e devolver à população paraense um Estado mais digno e menos violento”, reforçou a deputada federal Elcione Barbalho (MDB).

O encontro de ontem também contou com a presença do ministro chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. O governador Simão Jatene não procurou ajuda do Ministério Extraordinário da Segurança, mesmo diante do rio de sangue derramado com a morte de 34 pessoas assassinadas nos últimos dois dias. “Estamos à disposição do governo do Estado, caso sejamos chamados para apoiá-lo”, afirmou Jungmann.

Segundo os deputados e Helder, para restaurar a ordem, é necessário adotar medidas urgentes e contundentes. Antes do encontro, Helder ligou para o governador do Amazonas, Amazonino Mendes, informando sobre a demanda que estava levando ao presidente da República. Segundo ele, Amazonino não criou nenhum óbice para que a sede seja em Belém e se solidarizou com a população paraense que sofre com a onda de violência e assassinatos.

O Brasil terá cinco centros regionais de inteligência ligados ao Centro Nacional Integrado de Inteligência, Comando e Controle, cuja sede será em Brasília. As estruturas regionais e a nacional interligadas devem ter o funcionamento iniciado, segundo prevê Jungmann, a partir do 2º semestre deste ano.

NORDESTE

O primeiro centro já está sendo instalado na cidade de Fortaleza, que também sofreu com ondas de violência no fim do ano passado e no início deste ano. O governador cearense, Camilo Santana (PT), está cedendo um imóvel para sediar o centro do Nordeste.

RECURSOS DA UNIÃO VÃO SER USADOS PARA GARANTIR INFRAESTRUTURA

O Centro de Inteligência no Norte vai reunir representantes de todas as polícias dos estados da região, juntamente com a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal, a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A força policial estará integrada, reunida no centro de comando e controle voltado para inteligência, para chegar ao comando do crime organizado, aos seus arsenais e seus recursos.

A União vai destinar recursos para aparelhar essa força de segurança da região Norte. O Governo do Estado do Pará deve ser chamado a colaborar com a disponibilização de um imóvel para abrigar o centro integrado, como prevê o projeto.

(Diário do Pará)

LEIA TAMBÉM



COMENTÁRIOS mode_comment