VENDAS

Lojistas de Belém se preparam para a Copa do Mundo

POSTADO EM: Domingo, 08/04/2018, 09:24:10
ATUALIZADO EM: 08/04/2018, 09:39:33

zoom_out_map
Irena Almeida

Em algumas das lojas instaladas na rua Treze de Maio, no centro comercial de Belém, os lojistas até já tentam entrar no clima da Copa do Mundo 2018, que tem o jogo de abertura marcado para o dia 14 de junho em Moscou, na Rússia. 

Entre lojas de acessórios espalhadas pela Treze de Maio, uma de bijuterias se destacava, na manhã de quinta-feira (5), pela presença de bandeiras do Brasil. Ao adentrar o espaço, o clima da copa ficava ainda mais evidente diante do ‘paredão’ de acessórios em verde e amarelo montado próximo ao caixa.

A gerente da loja, Vandira Melo, 42 anos, aponta que o campeonato mundial de futebol é a grande aposta para aumentar a movimentação no comércio. “Eu trabalho no comércio há 18 anos e eu nunca vi uma movimentação tão fraca quanto dessas últimas semanas”, avaliou. “Vamos ver se a copa anima os consumidores”.

Entre as estratégias traçadas pela loja está o reaproveitamento do material que sobrou ainda da copa anterior, realizada no Brasil. Como os produtos não possuem data, estão em perfeitas condições para fazer a alegria dos torcedores na copa deste ano.

Dentre os produtos oferecidos, a diversidade é grande: chapéus, cornetas, chaveiros, mochilas, óculos, perucas, colares ‘havaianos’, abridores de garrafas, e muito mais.

“A gente montou tudo desde fevereiro porque estamos apostando que muita gente que vai fazer aniversário até junho, acaba usando a copa como tema e aqui têm todos os acessórios”, explicou Vandira.

AUMENTO

Ela aponta que a expectativa é de aumento de 60% a 70% nas vendas à medida que o campeonato for se aproximando. Para Vandira, os lojistas precisam confiar no sucesso do campeonato para garantir as vendas. “Muita gente ainda está preocupado com o 7 a 1 (placar do jogo entre Brasil e Alemanha na copa passada). Mas com o Tite (atual técnico da Seleção Brasileira) a esperança é maior”.

Em outra loja próxima, era possível perceber que a preparação para a copa também já havia iniciado. Bandeirinhas na entrada e chapéus e cornetas oferecidos a preços que variavam de R$5 a R$12. Apesar da organização, o movimento também era considerado fraco. “As pessoas ainda estão muito cautelosas para comprar os acessórios. Na última copa já estava todo mundo no clima desde o início do ano”, estimou o vendedor Walace Pereira, 23 anos.

PREÇOS 

Supervisor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Roberto Sena, explica que desde março o Dieese realiza pesquisas do comércio e lojas de artigos esportivos. “O que surgiu na segunda quinzena de março, nas principais lojas de materiais esportivos no Pará, foram camisas da seleção”.

Em um levantamento preliminar, os preços cobrados pelas camisas oficiais estão elevados. “As camisas oficiais de jogo da seleção estão em torno de R$450 e a camisa feminina de torcedora está R$250”, apontou. “Porém, ainda não dá para dizer que os preços vão continuar esses até o início da Copa”.

(Cintia Magno/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment