VEJA O VÍDEO!

Bala de cartucheira é encontrada no local da morte do líder que denunciava Hydro Alunorte

POSTADO EM: Segunda-Feira, 12/03/2018, 14:34:54
ATUALIZADO EM: 12/03/2018, 19:25:52

zoom_out_map
Maycon Nunes/Diário do Pará

As equipes do DOL, Diário do Pará e RBATV estiveram em Barcarena na manhã desta segunda-feira (12), na casa de Paulo Sérgio Almeida Nascimento, líder da Associação dos Caboclos, Indígenas e Quilombolas da Amazônia (CAINQUIAMA), assassinado na madrugada de hoje. As equipes de reportagem encontraram uma cápsula de bala calibre 12mm no local da morte do líder comunitário. 

Fotos e vídeo comprovam o cenário de violência deixado pelos matadores (Maycon Nunes/Diário do Pará)


Na terra, marcas de onde Sérgio caiu ao sair da casa já baleado (Maycon Nunes/Diário do Pará)

Na reportagem de Cássia Medeiros, da RBATV, é detalhado que Sérgio morava em uma casa simples onde haviam indícios de temor pela sua segurança.

VEJA O VÍDEO:

DEPUTADO VAI PEDIR INVESTIGAÇÃO FEDERAL

O caso da morte de Sérgio Almeida Nascimento repercute nacionalmente e já chegou em Brasília. Em vídeo publicado na internet, o deputado Edmilson Rodrigues (PSol) anunciou que vai pedir investigação federal. 

No vídeo, o parlamentar descreve a participação assídua do líder em audiências públicas que trataram de casos de crime ambiental no município de Barcarena.

ASSISTA:

A MORTE

Conforme registrou o DOL, desde as primeiras horas da manhã, a morte de Sérgio Almeida Nascimento era anunciada, uma vez que desde o ano passado, a promotoria de Justiça Militar já havia pedido garantias de vida aos representantes da Cainquiama, o que foi negado pelo então secretário de segurança pública do Pará General Jeannot Jansen.

Além de Sérgio Nascimento, outros líderes comunitários já haviam denunciado que estavam recebendo ameaças de morte e que temiam por suas vidas e de suas famílias.     

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DIZ QUE RECEBEU DENÚNCIAS

O Ministério Público do Estado informa que em janeiro deste ano recebeu denúncias de representantes da Associação dos Caboclos, Indígenas e Quilombolas da Amazônia (CAINQUIAMA), localizada em Barcarena, que estariam sofrendo ameaças por parte de policiais militares do município.

Atendendo à denúncia, ainda no mês de fevereiro, o promotor de Justiça Militar, Armando Brasil, protocolou documento junto à Secretaria de Segurança Pública (Segup) solicitando que fosse providenciada garantia de vida aos representantes da Associação. Porém, o pedido foi negado pela Segup.

O Ministério Público lamenta profundamente a morte de Paulo Sérgio Almeida Nascimento e informa ainda que a Promotoria Militar irá aguardar o resultado do inquérito da polícia civil de Barcarena que investiga as circunstâncias da morte do diretor do CAINQUIAMA. Caso as investigações da polícia comprovem o envolvimento de militares no crime os mesmos serão denunciados e submetidos às sansões na justiça militar.

(DOL com informações de Cássia Medeiros/RBATV) 



COMENTÁRIOS mode_comment