RECONHECIMENTO

Prêmio Agropará homenageia hoje os melhores do Estado

POSTADO EM: Quarta-Feira, 29/11/2017, 09:34:36
ATUALIZADO EM: 29/11/2017, 17:21:13

zoom_out_map
Agência Brasil

A grande festa do agronegócio paraense tem um palco especial hoje à noite na Federação das Indústrias do Estado (Fiepa), com a realização da 3ª edição do Prêmio Agropará, que evidencia, destaca e premia as personalidades do campo que mais se destacam ao longo do ano em 18 categorias. Um dos momentos mais importantes será a premiação de Técnico Destaque em Agronegócios no Pará 2017 para o engenheiro Agrônomo Armando Dias Teixeira Neto, de Paragominas.

O técnico destaque desse ano também é proprietário de uma empresa de consultoria em Pecuária e pertence à quarta geração de produtores rurais que começaram a criar suas primeiras propriedades em 1910. Hoje, Dias, que tem uma propriedade em Ipixuna, possui clientes em Paragominas, Tomé-Açu, Mãe do Rio, Abaetetuba e Xinguara.

Ele se diz honrado em ser lembrado com a homenagem e destaca a premiação criada pelo DIÁRIO que “finalmente reconhece e dá valor ao importante trabalho realizado pelo Agronegócio no Pará”.

A premiação, junto com a revista Agropará, movimentou o mercado em 2015, quando passou a valorizar o trabalho do homem do campo e sua importância para economia do Estado. Hoje, na terceira edição do evento, apenas constar na lista dos indicados para a premiação já é considerado um privilégio, já que a premiação é considerada a maior do Norte e Nordeste do Brasil.

Vários critérios foram avaliados, como produtividade, tecnologia, boas práticas, geração de empregos, gestão, a importância para a produção local e outras características.

No próximo dia 10 dezembro, todos os ganhadores sairão na 9° edição da revista Agropará, encartada no DIÁRIO. A primeira publicação especializada no setor no Pará vai oferecer reportagens sobre as categorias do Prêmio Agropará, entrevistas, colunas de notícias e outras informações.

OS IMPACTOS

O Pará é referência na pecuária de corte de bovinos e bubalinos, fruticultura, madeira serrada, equinocultura, no cultivo de castanha-do-pará, mandioca, feijão, palmáceas, fibra de caroá, além da aquicultura, pesca, apicultura, com avançadas técnicas e tecnologia na produção.

O agronegócio no Pará tem ganhado destaque graças a sua tecnologia e produção. Em 2008, as pastagens ocupavam uma área correspondente 12% do Estado. Hoje, elas não somam mais de 10%, com cerca de 13,5 milhões de hectares.

R$ 12,5 BILHÕES

É o faturamento médio anual apontado pela Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) que os investimentos no setor primário paraense geram, e emprega 800 mil pessoas em empregos diretos e indiretos no Estado.

(Luiz Flávio/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment