EDUCAÇÃO

Professores do Estado permanecem em greve

POSTADO EM: Quinta-Feira, 12/10/2017, 07:22:33
ATUALIZADO EM: 12/10/2017, 07:34:42

zoom_out_map
Junior Oliveira/ Arquivo

Em assembleia geral, na manhã de ontem (11), os trabalhadores do magistério do Estado decidiram manter a greve da categoria, iniciada no dia 14 de setembro. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará (Sintepp-PA), os educadores e funcionários das escolas públicas estaduais pleiteiam que piso atual (vencimento básico) deveria ser de R$ 2,3 mil para professores em início de carreira e não os atuais R$ 1.917,78. 

A categoria reivindica ainda a conclusão da reforma de escolas, revisão do calendário escolar com manutenção e 200 horas/aula e não apenas 160 horas, como propõe o governo, além da realização de concurso público para várias da educação no Estado. E ontem mesmo, a desembargadora Diracy Nunes Alves acatou pedido da Procuradoria Geral do Estado (PGE) e retirou da pauta de julgamento do pleno do Tribunal de Justiça do Estado a ação movida pelo Sintepp para obrigar o Estado a pagar o piso salarial dos trabalhadores do magistério referente ao ano passado. 

Em seu despacho Diracy, que é relatora do processo, informa que a PGE requereu uma audiência de conciliação entre as partes “visando a solução do conflito”. A conciliação foi designada pela desembargadora para o próximo dia 31, às 15h. “Estávamos confiantes pela procedência da ação, já que o tribunal julgou favoravelmente outras ações idênticas”, afirma Walmir Brelaz, advogado do Sintepp. Brelaz informou ainda que o sindicato vai solicitar uma reunião com o governo antes da data da conciliação. “Se sentirmos que tudo não passou de mais uma manobra do governo, vamos peticionar ao Tribunal para que julgue imediatamente o mandado de segurança”, garante.

(Luiz Flávio)



COMENTÁRIOS mode_comment