AGROPARÁ

Tecnologia é cada vez mais parceira do produtor rural

POSTADO EM: Quarta-Feira, 26/07/2017, 08:07:36
ATUALIZADO EM: 26/07/2017, 08:07:36

zoom_out_map
Mauro Ângelo/Diário do Pará

Além do uso de tecnologias na produção, os pequenos produtores rurais estão fazendo uso mais frequente de ferramentas tecnológicas na comunicação e na comercialização dos seus produtos. É o que aponta uma pesquisa feita pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). O estudo, produzido de março a abril deste ano, revela que, no Pará, 95,3% dos pequenos produtores usam telefones celulares.

Do município de Medicilândia, no sudoeste paraense, Elido Preson, 64 anos, negocia sua produção com várias cidades vizinhas. Para ele, o smartphone é indispensável no seu trabalho. “80% das minhas vendas são negociadas pelo telefone. Depois só faço a entrega”, diz o produtor de cacau e cupuaçu. Com o celular, ele também monitora os preços de mercados e, por meio dos aplicativos de mensagens, se mantém conectado com outros produtores. “Trocamos informação e acompanhamos as notícias do agronegócio”, diz.

O celular está presente na vida de Elido há 10 anos. Ele lembra que, antes, colocava a antena em um local estratégico para conseguir linha. Desde então, vem comprando os modelos novos disponíveis no mercado. “Quando não sei mexer, o meu filho me ajuda. Eu aprendo rápido”, garante. O levantamento feito pelo Sebrae mostra que 44% do produtores rurais pesquisados acessam a internet pelos próprios telefones móveis. 

TRANSFORMAÇÃO

O diretor-superintendente do Sebrae no Pará, Fabrizzio Guaglianone observa que o universo do agronegócio no Brasil tem vivido uma ampla e profunda transformação nas últimas décadas. “A tecnologia na comunicação ajuda o produtor na gestão, reduzindo custos, tempo e facilitando o acesso às informações do seu negócio”, explica. 

“Quanto mais usarem tecnologias, mas elas vão ajudar no conhecimento do empreendimento deles”, afirma. Os dados revelam que os produtores usam a internet para transações comerciais ou para divulgação do produto. Porém, a dificuldade dos produtores está no acesso ou na dificuldade de conexão. 

“A rede em alguns municípios é restrita, lenta”, ressalta Fabrizzio. Segundo a pesquisa, 42,9% dos produtores rurais informaram que não utilizam a conexão de internet móvel porque não há provedor/sinal em sua região. 

Por outro lado, 45,5% dos produtores que utilizam já fizeram alguma compra pela internet e 9,1% usaram a Web para efetuar vendas. Além disso, 16,7% dos entrevistados possuem páginas de seus empreendimentos ou perfil nas redes sociais.

(Roberta Paraense/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment