zoom_out_map
(Foto: Divulgação)

Fábrica de sucos funcionará no Pará

Domingo, 02/07/2017, 09:49:52 - Atualizado em 02/07/2017, 09:49:52

“É a solução de um problema de um povo que sonha em ter uma fábrica de ponta.” Assim definiu o empresário Júnior Zamperlini, da Zampa Agroindustrial Ltda, que pertence ao Grupo Citropar, durante a assinatura do aditivo de contrato com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO), celebrado entre a empresa e o Banco da Amazônia. Considerada a maior empresa produtora de cítricos do Norte e Nordeste do País, a empresa avalia como muito importante para o Estado e para a Região a obtenção dos recursos.

Esse aditivo contratual contempla o ajuste de cronograma e a liberação de financiamento aprovado no início deste ano pelo Banco, que opera o FNO na região, e foi realizado em reunião na manhã da última quarta-feira (28), entre o empresário Júnior Zamperlini, o diretor Comercial e de Distribuição do Banco da Amazônia, Luiz Sampaio e o Superintendente Regional do Pará e Amapá da Instituição Financeira, Pedro Paulo Busatto.

De acordo com o diretor Luiz Sampaio, esse contrato de financiamento prevê a abertura das operações da Zampa Agroindustrial, que será a primeira fábrica de suco de laranja no Pará. Porém, o empreendimento já havia começado por meio de recursos próprios da empresa na cidade de Capitão Poço, nordeste do Estado. O financiamento contempla a compra de máquinas e equipamentos, que deverão ser instalados e que vão operar já a partir de novembro, além de uma série de obras civis. “A empresa vai gerar 120 empregos apenas dentro do sistema fabril, além de mais de 5 mil empregos indiretos”, destaca Sampaio.

O empresário Júnior Zamperlini explica que o empreendimento vai beneficiar cerca de 4 mil agricultores familiares que integram o Polo de Citricultura do Pará, nos municípios de Capitão Poço, Ourém, Garrafão do Norte, Irituia e Nova Esperança do Piriá. “Com a criação dessa nova fábrica, faremos todo o beneficiamento do suco de laranja aqui mesmo no Pará, possibilitando a geração de impostos, tributos e empregos por conta da exploração de toda a cadeia produtiva”, explica. A capacidade de operação da Citropar durante os cinco meses de safra é de cerca de 80 mil toneladas de sucos de laranja, tangerina e limão. 

De acordo com a Gerência de Gestão de Programas Governamentais do Banco da Amazônia, somente no primeiro trimestre de 2017, a Instituição já financiou, com recursos do FNO, mais de R$ 360 milhões somente no Estado do Pará, registrando um crescimento de 168,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, cujo volume foi de R$ 134 milhões. 

As contratações na Região Norte já alcançaram o volume de R$ 684 milhões no período em questão, mostrando que, embora o cenário econômico seja adverso, o Banco continua com ótimo desempenho. Nos últimos 5 anos, o principal destaque no Pará tem sido para o setor agropecuário. Nesse período, a instituição já alocou apenas no agronegócio, cerca de R$ 1,7 Bilhão.

(Diário do Pará)





COMENTÁRIOS mode_comment