'COLETES AMARELOS'

Trabalhadores franceses voltam às ruas e desafiam reformas do governo

POSTADO EM: Terça-Feira, 08/01/2019, 21:49:08
ATUALIZADO EM: 08/01/2019, 21:49:55

zoom_out_map
Reprodução

Dezenas de milhares de "coletes amarelos" voltaram às ruas de Paris neste sábado (5), no oitavo dia de mobilizações contra os aumentos do preço dos combuistíveis, as reformas trabalhista e previdenciária, marcado por confrontos com as forças de segurança e criticado pelo presidente francês, Emmanuel Macron, por sua "violência extrema".

"Mais uma vez, uma violência extrema veio atacar a República - seus guardiões, seus representantes, seus símbolos. Quem comete esses atos esquece a base de nosso pacto cívico. A justiça será feita. Todos devem se acalmar para que possa haver debate e diálogo", escreveu Macron no Twitter.

O "VIII Ato" da mobilização reuniu 50 mil pessoas - mais que as 32 mil no sábado passado -, anunciou o ministro do Interior, Christophe Castaner. No fim de semana anterior ao Natal foram 65 mil manifestantes.

Ele procurou, no entanto, minimizar o alcance deste dado: "50.000, é um pouco mais de uma pessoa por município na França (...) Então vemos que esse movimento não é representativo da França", afirmou à emissora LCI.

Castaner também condenou os confrontos durante o dia, embora reconhecendo que a maioria das manifestações "correu bem". Em particular, ele denunciou ataques a prefeituras, instituições e gendarmarias, assim como "jornalistas e jornais (...) maltratados".

(Fonte: RFI)



COMENTÁRIOS mode_comment