RÉU CONFESSO

Motorista da Uber é condenado à prisão perpétua após matar 6 pessoas

POSTADO EM: Terça-Feira, 08/01/2019, 11:17:19
ATUALIZADO EM: 08/01/2019, 11:17:19

zoom_out_map
Reprodução

O motorista do Uber Jason Dalton, de 48 anos, acusado de matar seis pessoas aleatoriamente em um tiroteio no estado americano de Michigan, em 2016, confessou os crimes. Inicialmente, o condutor culpou o aplicativo por controlar sua "mente e corpo". Mas ele mudou seu argumento pouco antes de seu julgamento começar. Nenhum acordo foi oferecido a Dalton para a confissão de culpa, disseram os promotores. 

De acordo com a BBC News, Suas acusações consistem em seis assassinatos, duas tentativas de homicídio e oito relacionadas a crimes de armas de fogo. Ele agora enfrenta uma sentença de prisão perpétua obrigatória sem liberdade condicional.

O acusado, que apresentou seu pedido enquanto a seleção do júri estava ocorrendo, confessou os crimes, apesar das objeções de seu advogado. Ele disse ao juiz do tribunal do condado de Kalamazoo que tomou a decisão por sua própria vontade, acrescentando que "queria isso por um bom tempo".

Fantoche da Uber

Dalton teria dito anteriormente à polícia que ele foi feito de "fantoche" pelo aplicativo Uber, que o levou a atirar em pessoas aleatoriamente durante um período de cinco horas em fevereiro de 2016.

Apesar de nenhuma das vítimas serem clientes do app, a polícia disse que Dalton continuou buscando passageiros durante o tiroteio em Kalamazoo, uma pequena cidade a cerca de 241 km a oeste de Detroit.

Entenda o caso

Os tiroteios ocorreram em um sábado à noite em três locais - fora de um restaurante Cracker Barrel, uma concessionária de carros Kia e um bloco de apartamentos.

A primeira troca de tiros ocorreu fora de um edifício residencial de Kalamazoo, às 17h30, horário local. Uma mulher foi baleada várias vezes - supostamente na frente de seus filhos - e foi levada ao hospital em estado grave.

Horas depois, pai e filho foram baleados e mortos e uma terceira pessoa foi ferida na concessionária.

Após alguns minutos, o terceiro tiroteio ocorreu no estacionamento do restaurante Cracker Barrel. Mary Lou Nye, 62, de Baroda, Michigan, foi morta junto com Dorothy Brown, 74; Barbara Hawthorne, 68, e Mary Jo Nye, 60, todos em Battle Creek, Michigan. Uma menina de 14 anos foi gravemente ferida.

Após a sua detenção naquela noite, a Uber confirmou que Dalton era um motorista registrado com a empresa de táxi-app baseada em aplicativos, emitindo uma declaração dizendo que estava "horrorizado e com o coração partido" com a violência.

Dalton havia passado por checagem de antecedentes, e foi aprovado por não ter passagens pela polícia, disse a Uber.

(Com informações de BBC News)



COMENTÁRIOS mode_comment