PASSAGEM TRANQUILA

Morre cientista que procurou suicídio assistido na Suíça

POSTADO EM: Quinta-Feira, 10/05/2018, 18:31:59
ATUALIZADO EM: 10/05/2018, 18:31:59

zoom_out_map
Reprodução

Morreu na manhã desta quinta-feira (10) o cientista australiano David Goodall, de 104 anos, que procurou o suicídio assistido na Suíça e anunciou que seria submetido ao procedimento no início desse mês. Ele não sofria de nenhuma doença terminal, mas afirmava que sua qualidade de vida tinha diminuído muito com a idade avançada.

A morte foi confirmada pela clínica Exit International, instituição que ajuda pacientes a morrer na Suíça, onde o suicídio assistido é permitido.

David estava acompanhado dos netos e de familiares, ouvindo a 9ª sinfonia de Beethoven para acompanhar sua morte. Ele escolheu ainda a injeção letal a ser aplicada e caiu no sono segundos depois. Ele doou seu corpo à medicina e pediu para que não tivesse enterro ou qualquer tipo de cerimonial.

"Lamento profundamente ter chegado a esta idade. Meu sentimento é que uma pessoa velha como eu deve ter plenos direitos de cidadania, incluindo o direito ao suicídio assistido", disse David em uma entrevista ao canal australiano ABC quando fez aniversário, no início de abril.

A eutanásia é ilegal na maioria dos países do mundo. Era totalmente proibido na Austrália, mas no ano passado foi legalizado no estado de Victoria. A legislação, porém, só entrará em vigor apenas em junho de 2019, além disso, ela contempla apenas os pacientes em fase terminal, com expectativa de menos de seis meses de vida.

(Com informações do Bem Estar)



COMENTÁRIOS mode_comment