EXTERIOR

EUA, Canadá e 14 países da UE expulsam diplomatas russos

POSTADO EM: Segunda-Feira, 26/03/2018, 13:23:04
ATUALIZADO EM: 26/03/2018, 13:44:01

zoom_out_map
Reprodução

Governos de ao menos 17 países, entre eles os EUA, anunciaram nesta segunda-feira (26) a expulsão de diplomatas russos, em reação ao envenenamento do ex-espião russo Serguei Skripal no Reino Unido.
O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que vai expulsar 60 diplomatas que Washington considera espiões e fechar o consulado russo em Seattle. Dentre os expulsos estão 48 da embaixada na capital americana e 12 que atuam nas Nações Unidas, em Nova York.
A União Europeia confirmou que 14 países haviam decidido expulsar diplomatas russos e que medidas adicionais não estão descartadas.
A Ucrânia decidiu expulsar 13 diplomatas; França, 4; a Alemanha, 4; a Polônia, 4 ; a República Tcheca, 3; a Lituânia, 3; a Estônia, 3; a Holanda, 2; a Itália, 2; a Finlândia, 1; a Croácia, 1; a Romênia, 1; a Suécia, 1, e a Letônia, 1.
A Albânia, país europeu que não faz parte da UE, também anunciou a expulsão de dois diplomatas russos. Países europeus com fortes laços com a Rússia, como Hungria e Bulgária, devem se abster nas expulsões.
O Canadá somou-se à campanha e anunciou a expulsão de quatro diplomatas russos que disse ser agentes de inteligência disfarçados, "em solidariedade aos EUA".
As ações atendem a pedido feito pela primeira-ministra britânica, Theresa May, na semana passada. O Reino Unido culpa a Rússia pelo envenenamento de Skripal e de sua filha, Iulia, em Salisbury, na Inglaterra, pelo agente neurotóxico Novitchok. Ambos estão internados com sequelas permanentes.
O presidente russo, Vladimir Putin, chamou a acusação de ridícula.
"No dia 4 de março, a Rússia usou um agente neurotóxico de grau militar para tentar matar um cidadão britânico e sua filha em Salisbury. Esse ataque contra nosso aliado, o Reino Unido, coloca inúmeras vidas inocentes em risco e resultou em danos sérios a três pessoas, entre elas um policial", afirmou nota do Departamento de Estado americano.
ESCALADA
O Kremlin disse que as expulsões são um erro e que Putin decidirá como reagir, com base no princípio da reciprocidade.
Em nota, o Ministério das Relações Exteriores russo qualificou a ação conjunta de provocativa e disse que ela irá levar a uma escalada de tensões. Afirmou ainda que irá responder na mesma medida.
O embaixador russo nos EUA afirmou que Trump está "destruindo o pouco que sobrou" nas relações entre os dois países.
O Reino Unido já havia expulsado 13 diplomatas russos na semana passada, após o caso. Em resposta, a Rússia expulsou 23 diplomatas britânicos e fechou o Conselho Britânico.
O ministro das Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, comemorou os eventos.
"A extraordinária resposta internacional de hoje por nossos aliados fica na história como a maior expulsão coletiva de agentes de inteligência russos e irá nos ajudar a defender nossa segurança compartilhada", afirmou no Twitter. "A Rússia não pode violar as leis internacionais com impunidade."
(Folhapress)



COMENTÁRIOS mode_comment