OITO ANOS DE GUERRA

Bomba mata quinze crianças na Síria

POSTADO EM: Segunda-Feira, 19/03/2018, 20:33:05
ATUALIZADO EM: 19/03/2018, 20:58:44

zoom_out_map
Reprodução

A guerra civil da Síria completou o seu oitavo ano e sem uma perspectiva de paz entre os lados envolvidos. Após o recuo das forças rebeldes, que estão concentradas na cidade de Gutha, este ano está sendo marcado principalmente pelo número de crianças mortas na cidade.  

Nesta segunda-feira pelo menos 15 crianças e duas mulheres morreram durante um ataque das forças aliadas ao governo de Bashar Al-Assad sobre Ghuta Oriental, o último bastião rebelde que ainda permanece ocupado. A informação foi confirmada pela ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

As vítimas haviam se refugiado no sótão de uma escola na cidade de Arbin, um reduto dos rebeldes e que vem sendo submetido a intensos bombardeios há um mês.

Síria está em disputa entre EUA e Rússia

O conflito sírio teve início no ápice das manifestações espalhadas por vários países do oriente médio, como Tunísia, Líbia e Egito, que ficou conhecida como Primavera Árabe.

Este movimento foi visto por algumas potencias ocidentais, como EUA, Reino Unido e França, como uma oportunidade de ganhar influência em uma região conhecida por rígidas ditaduras.

Na Síria não foi diferente. Desde o início o conflito mostrou-se como um enfrentamento entre Estados Unidos e a Rússia de Putín, principal aliada do governo sírio.

O governo norte-americano negou inicialmente, mas por volta de 2013 admitiu pela primeira vez que ajudava as forças rebeldes, compostas por vários grupos, inclusive extremistas islâmicos, a enfrentarem as forças governamentais para tomar o poder.

Os motivos ainda não são públicos, mas especula-se que o governo norte-americano conta com o fim de Bashar Al-Assad e a implementação de um novo governo que autorize a passagem de um gasoduto pelo país. O projeto não é novo, e pretende levar gás e petróleo saudita à toda Europa, que atualmente depende do gás russo.

(Igor Wilson/Dol)



COMENTÁRIOS mode_comment