ESPIONAGEM

Policiais chineses testam óculos com câmera de reconhecimento facial

POSTADO EM: Quinta-Feira, 08/02/2018, 14:00:03
ATUALIZADO EM: 08/02/2018, 16:47:57

zoom_out_map
Divulgação

China conta com sistema de reconhecimento facial (Foto: Reprodução)

Isso é muito Black Mirror (ou Minority Report). Policiais chineses iniciarem testes para utilizarem óculos escuros equipados com uma câmera de reconhecimento facial conectada com uma base de dados. Com essa tecnologia, as autoridades recebem informações em tempo real no dispositivo e podem identificar rostos de supeitos de cometer delitos. 

De acordo com a imprensa local, a utilização dos óculos já ajudou a polícia chinesa a prender sete suspeitos — os acusados teriam cometido crimes como não prestar atendimento após um atropelamento e até de realizar tráfico humano. 

Para realizar a abordagem, os policiais utilizam os óculos para capturarem a foto de um supeito. Automaticamente, a imagem é enviada à base de dados da polícia: caso haja a confirmação da identidade, o agente recebe na tela do dispositivo o nome e endereço da pessoa que será abordada. 

Leia mais: 
+ China quer implantar sistema 'Black Mirror' de avaliação de pessoas
+ China planeja construir colônia na Lua povoada com robôs

Repórteres estrangeiros também tiveram a oportunidade de presenciar a tecnologia em ação, em uma estação de trem na cidade de Zhengzhou, que tem quase 9 milhões de habitantes. 

A China é o país que mais investe em sistemas de segurança que utilizam reconhecimento facial: mais de 170 milhões de câmera estão espalhadas no país e há a previsão de que mais 400 milhões de dispositivos sejam instalados nos próximos anos. Os equipamentos contarão com inteligência artificial capaz de identificar rostos e fornecer informações sobre possíveis suspeitos. 

A utilização da tecnologia preocupa: apesar de nos últimos anos o país ter passado por um processo de distensão política, ainda há censura de informações e sanções a pessoas consideradas "dissidentes" do governo. Entidades de direitos humanos alertam que equipamentos de reconhecimento facial poderiam não apenas identificar possíveis criminosos, mas também cidadãos que emitam opiniões contrárias ao poder central chinês. 

Curte o conteúdo da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: baixe o app da Globo Mais para ver reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode assinar a revista, por R$ 4,90 e baixar o app da GALILEU.

Fonte: Revista Galileu



COMENTÁRIOS mode_comment