ESTÉTICA

Você conhece a maderoterapia? Ela pode ser sua grande aliada no Carnaval; Saiba mais

POSTADO EM: Sexta-Feira, 01/02/2019, 13:55:23
ATUALIZADO EM: 01/02/2019, 14:53:33

zoom_out_map
Reprodução

A maior festa brasileira está chegando e, na hora da folia, milhares de pessoas querem arrasar nas fantasias e estar com a saúde e corpo em dia para curtir cada minuto. E no meio de tantas opções de tratamento, a maderoterapia, massagem colombiana, se destaca por ter uma vasta opção de acessórios.

“Essa é uma técnica completa e eficiente no estímulo da circulação sanguínea e linfática, da produção de colágeno, elastinas e liberação de endorfinas. Dessa forma, promove excelentes resultados como redução de medidas, melhora do aspecto da celulite, diminuição de inchaço e melhor funcionamento do intestino juntamente com sensação de relaxamento e bem-estar”, explica Gabriela Laubé, fisioterapeuta especializada em estética.

O procedimento utiliza ferramentas de madeira específicas e anatômicas para fazer uma remodelagem do corpo. Nesse caso, cada instrumento é utilizado para um determinado fim, substituindo o uso das mãos na execução de uma massagem modeladora. Para Gabriela, a vantagem está na facilidade que o profissional encontra em manter a intensidade e ritmo de manobras do início ao fim da sessão, tornando a técnica muito mais eficiente.

Leia mais: 

Os instrumentos usados são: o cogumelo, para ativar a circulação; a copa sueca, que forma um vácuo suave oxigenando os tecidos; rolo esfriado que ativa a circulação de forma mais intensa; rolo cubo para relaxamento muscular e por fim as famosas pantalhas, que além do amassamento, são excelentes para estimular a circulação venosa e linfática.

Sem dúvida, a maderoterapia é muito benéfica ao organismo, mas antes de pensar na estética vale lembrar que a saúde vem em primeiro lugar. “Para realizar o procedimento, é preciso estar atento às contraindicações. Não devem fazer a massagem modeladora com madeiras pessoas com: diabetes e hipertensão descompensadas, trombose, câncer, processos infecciosos, febre, lesões cutâneas e abdome gravídico”, relata Gabriela Laubé.

(Com informações da Assessoria)

LEIA TAMBÉM



COMENTÁRIOS mode_comment