CUIDADOS EXTRAS

Ser mãe após os 35 anos: saiba os perigos de uma gestação tardia

POSTADO EM: Quarta-Feira, 04/07/2018, 09:03:33
ATUALIZADO EM: 04/07/2018, 09:33:44

zoom_out_map
Divulgação

Muitas mulheres escolhem ter filhos após os 35 anos, principalmente, pelo fato de priorizar o lado profissional e buscar estabilidade financeira antes de formar uma família. No entanto, a ginecologista e obstetra, Maria Elisa Noriler, alerta para os perigos de uma gestação tardia. As informações são do Notícias ao Minuto.

Segundo a especialista, alguns cuidados extras precisam ser adotados não só em relação a saúde da mãe, mas também de seu bebê, já que “uma gestação nessa fase está relacionada ao aparecimento de diversas complicações como, hipertensão arterial, diabetes, abortamento, malformação fetal, doença renal, neurológica e pulmonar”.

Um estudo realizado pela Universidade de Alberta, no Canadá, revelou que crianças geradas por mães com mis de 35 anos têm maiores riscos de desenvolver problemas cardíacos na vida adulta.

A ginecologista e obstetra ressalta que é possível evitar problemas durante uma gravidez tardia, adotando alguns cuidados que envolve o momento, como “fazer uma ultrassonografia morfológica com especialista em medicina fetal, manter o peso ideal, optar por hábitos saudáveis com a alimentação, praticar atividade física regularmente, não fumar e também estar em dia com o calendário de vacinas”.

Veja alguns cuidados diários com a região íntima:

- No banho, lave adequadamente a região, com movimentos delicados e sabonetes para o equilíbrio da flora natural e com pH próximo ao da pele;

- Evite protetores diários, pois abafam a região e podem provocar corrimentos, coceiras e infecções;

- Evite o use de roupas muito justas e de tecidos grossos;

- Priorize usar roupas mais leves e evite papéis higiênicos perfumados;

- Use calcinhas de algodão e sempre coloque-as par secar em um ambiente fresco e seco;

- Durma sem calcinha, pois permite a ventilação vaginal;

- Jamais realize duchas vaginais para a limpeza, pois pode alterar o pH normal da vagina, que está na faixa de 3,8 e 4,2.

(Com informações do Notícias ao Minuto



COMENTÁRIOS mode_comment