ESTÉTICA

Cerca de 60% dos pacientes não conseguem manter resultado da lipoaspiração

POSTADO EM: Terça-Feira, 27/02/2018, 10:44:55
ATUALIZADO EM: 27/02/2018, 10:44:55

O cirurgião plástico Bruno Herkenhoff, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, realizou um levantamento que constatou que 60% dos pacientes submetidos à lipoaspiração não mantêm os resultados por muito tempo. Segundo o estudo, 30% das pessoas retornam ao consultório para um novo procedimento, cerca de um ano depois, muitas vezes, com o mesmo corpo de antes.

"A cirurgia é um investimento grande na vida do paciente: financeiro, de tempo e de saúde. Há grande frustração quando, pouco tempo depois, ele se vê novamente com as gorduras que retirou. Só que, por mais que trabalhemos sua consciência a respeito de que é necessário manter os resultados do procedimento, na maioria dos casos, falta força de vontade por parte do paciente", afirma o especialista.

Herkenhoff destaca que a lipoaspiração não serve como método de emagrecimento e a cirurgia é indicada para retirada do excesso de gordura, que, dificilmente, sai com dietas balanceadas e práticas de exercícios físicos.

Confira a lista dos erros mais comuns:

- Acreditar que a lipo é um método de emagrecimento. Sua indicação é para retirada de gordura localizada.

- Esperar não engordar depois da lipoaspiração. A intervenção, assim como outros procedimentos estéticos, exige reeducação alimentar e atividade física. Se o paciente não se controlar, vai engordar de novo.

- Imaginar que será possível retirar toda a gordura localizada. A cirurgia prevê um limite de volume aspirado, determinado por uma resolução do Conselho Regional de Medicina, que não deve ultrapassar 5% a 7% do peso corporal.

- Achar que a lipo é algo tão simples que pode ser feito no consultório do médico. Os conselhos de medicina e a Sociedade de Cirurgia Plástica proíbem este tipo de situação. Para própria segurança do paciente, a lipoaspiração deve ser realizada em centro cirúrgico, em hospital com estrutura para qualquer emergência.

- Procurar realizar o procedimento com profissional não qualificado. É necessário treinamento específico para a sua execução, além de ter habilitação prévia em área cirúrgica geral e em cirurgia plástica.

- Não considerar a necessidade de realizar exames prévios antes da cirurgia. Como em qualquer procedimento cirúrgico, o médico tem que pedir exames pré-operatórios e realizar a cirurgia em local com boa estrutura. O procedimento deve ser feito com cirurgiões plásticos habilitados e credenciados na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

- Achar que não precisa de cuidados no pós-operatório. Deve-se fazer o pós-operatório correto para uma boa recuperação e bom resultado. O paciente precisa usar cinta modeladora e fazer repouso além de ter uma boa hidratação e alimentação. A drenagem linfática é indicada para ajudar a desinchar e a não formar nódulos.

(Com informações do Extra)



COMENTÁRIOS mode_comment