VIOLÊNCIA

Jovem é torturada e espancada por filho de prefeito: 'Não consigo me olhar no espelho'

POSTADO EM: Quarta-Feira, 16/05/2018, 18:13:07
ATUALIZADO EM: 16/05/2018, 18:13:07

Um moça denunciou um caso de violência conjugal no último domingo (13) e o caso repercutiu nas redes sociais e em alguns portais de notícia. Ela é irmã da vítima e postou no Facebook fotos da mulher espancada – com hematomas por todo corpo e ferimentos sérios. ‘Cansei! Cansei de ‘considerar os pedidos para esconder’, desabafou a irmã.

A vítima é Clara Emanuele Santos, 20 anos, filha do prefeito de Muniz Ferreira, na Bahia. O acusado de agredi-la é o ex-namorado Filipe Fernandes Pedreira, 19 anos, cujo pai também é prefeito de outro município baiano, o de Salinas das Margaridas. Ambos tinham um relacionamento há cerca de três anos, marcado por frequentes atos de violência por parte do rapaz.

As fotos postadas pela irmã de Clara são da última agressão sofrida no dia 8 de maio. Segundo a vítima, Filipe invadiu o apartamento dela e já teria chegado dando socos, chutes, e mordidas. Ele até cortou os cabelos da moça.

O jornal Correio teve acesso ao depoimento de Clara e divulgou que eles haviam terminado o relacionamento há 15 dias. “Eu tava estudando, fazendo um trabalho, quando Filipe chegou falando que eu tinha outro. Ele me bateu muito. Falava o tempo todo que ia me deixar careca e que nenhum homem ia me querer. Meu rosto ficou deformado. Não consigo me olhar no espelho”, relatou, aos prantos.

Clara conseguiu fugir para a residência de uma vizinha. Mas Filipe, ainda revoltado, foi atrás dos familiares dela e atacou o pai da vítima com um spray de pimenta. O produto também acertou o filho do casal, de apenas um ano que foi levado ao hospital, quase desmaiando.

Ela contou que nunca tinha denunciado a situação porque sentia vergonha. “Não queria ver minha família sofrendo. Sinto vergonha quando olho pro meu pai e pro meu filho. Não queria estar fazendo minha família passar por isso”, contou.

Filipe e Clara se casaram em 2016. Ela conta que, pelo fato do pai ter produzido uma festa de casamento linda, ela não queria dar o desgosto de terminar a relação.

Muitas pessoas se solidarizaram com o caso e foi criado um perfil no Instagram com o nome “Somos Todos Clara”, que já tem mais de sete mil seguidores. Os amigos da garota pedem que a justiça seja feita e Filipe vá pra cadeia. Ela fez registro na polícia. A Promotoria de Justiça ordenou que Filipe se afaste durante 180 dias do “lar, domicílio ou local de convivência com a ofendida”. Ele também está limitado a estar a no mínimo 100 metros da vítima e do filho dela e não pode frequentar os mesmos locais que ela para preservar a integridade física e psicológica da ofendida.

(DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment