CARNAVAL

Identificação e cuidados com a saúde garantem carnaval tranquilo para crianças

POSTADO EM: Sexta-Feira, 09/02/2018, 07:29:53
ATUALIZADO EM: 09/02/2018, 07:29:53

Carnaval também é sinônimo de diversão para as crianças, que aproveitam os dias de folia para brincar e dançar em bailes e blocos de rua. Os pais, no entanto, devem estar atentos e ter alguns cuidados para garantir que não haja transtornos, como a perda da criança e problemas de saúde.

A primeira orientação é a identificação dos pequenos que vão sair para as festas. “Os pais podem identificar de qualquer forma, com pulseira ou colocar um adesivo colado, ou até escrever no braço da criança. Mesmo as crianças mais velhas podem ficar assustadas e não saber dizer o nome ou o telefone dos pais”, diz a supervisora do Setor de Proteção e Apuração da Vara da Infância e Juventude do Distrito Federal, Ana Luiza Muller.

Ela orienta também para que os pais levem uma cópia ou original do documento de identidade dos filhos. Em relação aos adolescentes, os pais devem conversar e orientar os filhos em relação ao consumo de bebidas alcoólicas. “A gente verifica um elevado número de adolescentes consumindo bebidas, o que é um risco”, diz Ana Luiza.

Identificação

Em alguns estados, a Polícia Militar (PM) vai fazer ações de identificação das crianças por meio de carteirinhas ou pulseirinhas, que devem ter o nome da criança e um telefone de contato. A medida ajuda na identificação e na localização da família, caso a criança se perca.

Os pais também devem estar atentos às regras de cada estado para a participação de crianças em eventos. No Distrito Federal, por exemplo, uma portaria da Vara da Infância e Juventude estabelece que as matinês para crianças e adolescentes devem terminar até as 20h e proíbe a venda de bebidas alcoólicas e cigarros nos locais onde haja bailes infantis. Ainda, segundo a portaria, apenas adolescentes maiores de 16 anos podem estar em trios elétricos ou similares.

Alimentação e saúde

Entre as dicas da organização não governamental (ONG) Criança Segura para garantir a tranquilidade do carnaval infantil está o cuidado com a alimentação, oferecendo comidas leves, e com a hidratação dos pequenos. “Mas, lembre-se: na hora de comer é melhor que a criança esteja parada e calma, para que ela mastigue bem e devagar os alimentos, evitando, assim, engasgamento”, alerta a entidade.

As roupas para pular o carnaval devem ser leves, sem cordões ou botões pequenos, para evitar acidentes, e os sapatos devem ser confortáveis. Outra dica da ONG é tomar cuidado com adereços, como confete, serpentina, espuma, tatuagens temporárias, tinta e glitter, para evitar casos de intoxicação e sufocamento. Os pais devem observar se os produtos são atóxicos e orientar a criança a não colocar confete na boca, enrolar a serpentina no pescoço ou brincar de jogar espuma nos olhos e na boca de outras pessoas.

Denúncias

Uma campanha lançada pela Secretaria Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Ministério dos Direitos Humanos, tem como objetivo conscientizar a população a denunciar qualquer situação de violência, especialmente a exploração sexual, o trabalho infantil e o uso de álcool e drogas por crianças e adolescentes no carnaval.

Com o tema “Respeitar, proteger, garantir – todos juntos pelos direitos da criança e do adolescente”, a campanha também busca alertar para o combate à violação de direitos de meninos e meninas em situação de rua e para os riscos de desaparecimento de crianças.

Para fazer denúncia de violações de direitos humanos no país, os contatos são o Disque 100 (Disque Direitos Humanos) e o aplicativo Proteja Brasil.

Veja dicas para garantir um carnaval seguro:

- Identifique as crianças com a carteirinha ou pulseiras que serão distribuídas pela Polícia Militar;

- Não deixe, em nenhum momento, as crianças sozinhas;

- Cuide da hidratação e alimentação;

- Use fantasias leves e calçados confortáveis;

- Evite permanecer com suas crianças em grandes aglomerados e tumultos;

- Evite subir com crianças em trios elétricos;

- Oriente seu filho a evitar contato, carona, alimento ou presentes de pessoas estranhas;

- Oriente as crianças a procurar o policial mais próximo caso ela se perca ou precise de ajuda;

- Evite levar objetos de valor como brincos, colares, relógios, óculos e carteira com muito dinheiro;

- Evite usar o telefone celular no meio da multidão.

As informações são da Polícia Militar 



COMENTÁRIOS mode_comment