zoom_out_map
(Foto: Divulgação)

Planalto envia áudio de Temer e Joesley a peritos - Brasil |

Sexta-Feira, 19/05/2017, 07:53:16 - Atualizado em 19/05/2017, 08:33:13

A gravação de Joesley Batista, que surgiu como uma bomba para o presidente Michel Temer, será enviada para avaliação de peritos. A suspeita dos auxiliares do atual presidente é de que o áudio tenha sido editado e que tudo não passa de uma "conspiração".

Aliados do presidente se juntaram para escutar o diálogo dele com Joesley, na noite dessa quinta-feira (18) e pretendem sustentar a acusação de que o grampo tenha sido ilegal e sem aval jurídico. Além disso, buscam entender a determinação da Procuradoria-Geral da República (PGR) em validar o arquivo.

Tucanos

Já no PSDB, alguns deram pouco destaque ao conteúdo da conversa, mas já definiram em reunião fechada que o rumo dos tucanos é homogêneo. Se for se desvincular do governo será em conjunto. Caso haja a necessidade de eleições indiretas, o partido já vislumbra o nome do senador Tasso Jereisatti, do Ceará para substituir Temer.

Os palacianos ainda ficaram irritados com a postura dos donos da JBS, Joesley e Wesley Batista, de 'fazer com a confusão toda' e 'mudar com a família para New York'

Rede

Outra legenda que também já se articula é a Rede. Com Marina Silva como principal liderança, o partido planeja que, em caso de eleições indiretas, ela seja lançada com um nome de peso como vice. Os militantes já buscam às pressas as filiações de Joaquim Barbosa e Carlos Ayres Britto, ex-ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O áudio

No áudio liberado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), no fim da tarde desta quinta-feira (18), o delator Joesley Batista, dono da JBS, mantém um diálogo com o presidente Michel Temer, em março deste ano, que foi acusado de ter dado aval para a compra de silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha. 

A notícia foi divulgada na noite de quarta-feira (17) e pegou todos de surpresa. Na tarde hoje, às 16h, o presidente Michel Temer fez um pronunciamento em rede nacional, onde afirmou que não pretende renunciar.

"Não renunciarei. Repito: não renunciarei", disse Temer. "Sei o que fiz e sei da correção dos meus atos. Exijo investigação plena e muito rápida para os esclarecimentos ao povo brasileiro. Esta situação de dubiedade ou de dúvida não pode persistir por muito tempo. Se foram rápidas nas gravações clandestinas, não podem tardar nas investigações e na solução respeitantemente a estas investigações."

Ouça o trecho onde Joesley Batista e Michel Temer falam sobre Eduardo Cunha.

Confira também o áudio na íntegra e uma transcrição a partir de 9:37 até 13:17.

(Com informações do portal Jornal do Commercio)


COMENTÁRIOS mode_comment

CONTINUE LENDO keyboard_arrow_down
CONTINUAR LENDO keyboard_arrow_down