PALAVRA DO TÉCNICO

'Há necessidade de trazermos alguma coisa', afirma Hélio dos Anjos

POSTADO EM: Segunda-Feira, 10/06/2019, 09:22:17
ATUALIZADO EM: 10/06/2019, 09:22:17

zoom_out_map
Manoel Façanha

Além de criticar Marcos Antônio pela expulsão e, também, elogiar a entrega dos atletas que permaneceram em campo, o técnico Hélio dos Anjos voltou a falar sobre a contratação de novos atletas para o elenco do Paysandu, após o empate diante do Galo Carijó. Na entrevista, o treinador deu a entender que a chegada de novas peças para o elenco é só uma questão de tempo e que a mesma passa por questão de equação financeira a ser feita pelo clube.

“A minha responsabilidade de dar (indicar) alternativas, eu vou dar durante a semana, durante o tempo todo”, disse. “Vou dar alternativas para o nosso momento, voltada para a nossa realidade e nossa divisão”, explicou. O técnico admitiu até mesmo já ter alguma coisa nesse sentido. “Já tenho pesquisado”, contou. “Há necessidade de trazermos alguma coisa para revitalizarmos o grupo”, justificou.

“A gente vai ter de fazer alguma mexida, mas vai precisar aparecer dinheiro”, comentou Hélio.  “Por isso mesmo o Felipe (Albuquerque, diretor de futebol), friamente, me pediu uma semana”, detalhou. O treinador informou que o assunto já entrou em pauta de conversações com a direção bicolor. “Baseado no que eu já trabalhei, baseado no que estou vendo, já discutimos com eles (dirigentes) alguma coisa. Acho que temos de trazer uma ou outra peça, como todo mundo traz”, observou.

FORMAÇÃO DO TIME

E para a próxima partida, o técnico Hélio dos Anjos já poderá contar com o zagueiro Micael e o volante Caíque Oliveira, que cumpriram suspensão, mas não terá Marcos Antônio, que levou vermelho sábado. Já o lateral Bruno Oliveira e os atacantes Jheimy e Pimentinha, que não foram a Rio Branco, dependem da recuperação de suas respectivas lesões.

Tá complicado, mas o otimismo ainda impera

Mais um jogo, mas uma tentativa sem sucesso do Paysandu em acabar com o jejum de vitórias, que há mais de um mês atormenta não só o elenco do clube, mas também a diretoria e, sobretudo, o torcedor que, para completar, ainda está vendo o maior rival, Remo, nada de braçada na Série C do Brasileiro. Apesar do estrago aumentar a cada rodada, os jogadores deixaram o gramado do Florestão, no sábado (8), como sempre, tentando amenizar o jejum de sete partidas sem vencer na temporada – cinco delas pela Série C.

“A equipe está de parabéns por ter mostrado força, mostrado luta. Tivemos chance até de ganhar o jogo. Vamos trabalhar forte pra gente mudar essa fase e começar a ganhar”, declarou o atacante Paulo Rangel, que tem um tabu para superar: o de ainda não ter marcado gol no Brasileiro. O lateral direito Tony, por sua vez, lamentou a perda do volante Marcos Antônio, expulso de campo. “Com um jogador a menos desde o começo do jogo não é fácil, independente de qual adversário for”, afirmou.

O defensor bicolor viu ao menos uma virtude na equipe bicolor que, mesmo inferiorizada numericamente, conseguiu chegar ao empate. “O bom foi ter a reação que tivemos”, elogiou. “Agora é pensar no próximo jogo, porque esse já foi”, completou Tony.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment