SÉRIE C

Papão vai ao Acre com Perema como possível opção de Hélio dos Anjos na zaga

POSTADO EM: Sábado, 08/06/2019, 09:32:31
ATUALIZADO EM: 08/06/2019, 09:41:40

zoom_out_map
Arquivo/Paysandu

Dois times, Atlético-AC e Paysandu, em desespero se enfrentam, hoje, a partir das 19h, no estádio Florestão, em Rio Branco, Acre, tentando deixar de vez a fase negativa que vivenciam na temporada. A equipe mandante é lanterna do Grupo B da Série C, não tendo conseguido, em seis partidas, uma só vitória no campeonato. Já o Papão, em posição mais confortável na classificação, acumula uma sequência de seis jogos sem vitória. Diante de tal quadro, a expectativa é que os times façam um jogo pra lá de ofensivo, buscando os três pontos desde o apito inicial da partida, visto que o empate não serve a ninguém.

A insatisfação da torcida bicolor só faz crescer a cada nova partida do Papão na temporada. Embora o time esteja colado ao G4, ocupando a 5ª colocação, com 8 pontos, mesmo número do Ypiranga-RS, quarto na classificação pela vantagem no saldo de gols (1 a -1), primeiro critério de desempate, o jejum de vitória incomoda a Fiel.

Dirigentes, técnico e, sobretudo, jogadores são pressionados para tirar o clube da situação em que se encontra. Antes da viagem de ontem cedo para a capital acreana, alguns torcedores voltaram a dar mostras da insatisfação da equipe, protestando na sede social.

Os próprios atletas admitem que o Papão não está fazendo campanha condizente com sua tradição no Brasileiro, do qual é campeão em duas temporadas da Série B (1991/2001). “A gente entende a cobrança dos torcedores, mas nós, jogadores, também temos nos questionado muito sobre isso”, declarou o lateral Tony.

O técnico Hélio dos Anjos segue no mesmo rumo. Ele reconhece que o tabu de seis partidas sem vitória “é muito para um clube da tradição do Paysandu.” O treinador fará a sua segunda partida à frente do Papão, esperando que a vitória ocorra para serenar os ânimos dentro e fora da Curuzu.

“Que esse resultado venha o quanto antes”, pediu o técnico, na última quinta-feira, quando ministrou o último treino da sua equipe em Belém. Ontem, o grupo voltou a se movimentar em um treino leve, apenas para “tirar o avião do corpo”, como se diz, em Rio Branco.

Desfalques

A comitiva bicolor, que deixou Belém no começo da manhã de ontem, embarcou sem que Hélio tivesse adiantado a formação que pretende mandar a campo. O treinador tem dois desfalques: o zagueiro Micael e o volante Caíque Oliveira.

Para a zaga parece não existir dúvida, com Perema devendo formar dupla com Victor Oliveira. Já para o meio de campo, as opções são Willyam, Jhonny Douglas e Anderson Uchôa, caso os atletas tenham viajado. A lista com os atletas relacionados já há algum tempo não é divulgada pelo clube.

Mudanças por obrigação e por opção

O Paysandu viajou para Rio Branco sem que o técnico Hélio dos Anjos tivesse anunciado a formação da equipe que pretende mandar a campo para enfrentar o Atlético. Não se trata, na verdade, de algo inédito na Curuzu. O técnico segue apenas uma rotina adotada por seus antecessores - João Brigatti, Léo Condé e até mesmo o auxiliar Leandro Niehues, que esteve à frente da equipe por duas vezes este ano. O certo é, porém, que Hélio fará, obrigatoriamente, mudanças no time em relação a composição que entrou jogando contra o São José.

Mas, além dos substitutos do zagueiro Micael e do volante Caíque Oliveira, suspensos, o treinador poderá apresentar novidade nos setores de meio de campo e ataque. Existe a possibilidade de o meia Leandro Lima, por exemplo, ocupar o espaço de Tiago Luís, que até aqui não conseguiu ser o mesmo de sua passagem anterior pela Curuzu. O jogador ainda se encontra fora de forma e isso, visivelmente, tem comprometido sua participação nos jogos do Papão.

Mas a briga pela titularidade na “meiuca” bicolor tem ainda outro concorrente na função de meia, no caso Thiago Primão, que cumpriu suspensão. Já para a função de volante, Willyam, Anderson Uchôa e Jhonny Douglas travam um duelo pelo posto de substituto de Caíque. No ataque, Paulo Henrique corre por fora, tentando desbancar seu xará Paulo Rangel. Vinícius Leite e Nicolas, por outro lado, parecem não sofrer nenhuma ameaça de deixar o time.

Na seca: Galo Carijó apela até pra palestra motivacional

O Atlético-AC fugiu à rotina da preparação apenas em campo para enfrentar o Paysandu. A diretoria do clube, em concordância com o técnico Álvaro Miguéis, resolveu buscar, fora das quatro linhas, algo que possa ajudar o time a entrar nos trilhos na Série C do Brasileiro, competição em que o grupo não vence há seis jogos, acumulando três empates e três derrotas. Na última quinta-feira, os jogadores e comissão técnica do Galo Carijó trocaram o campo pelas poltronas de um auditório de uma empresa de assistência médica, onde acompanharam uma palestra motivacional.

A preleção, que teve duração de cerca de duas horas, teve como tom principal o crescimento da equipe no aspecto emocional, coletivo e, não menos importante, a concentração durante a preparação e transcorrer dos jogos do time na Série C. Na ocasião, foram exibidos vídeos que serviram para mostrar as falhas cometidas pela equipe em seus jogos no campeonato. Miguéis indicou os erros ao mesmo tempo em que passava orientações para que os problemas não voltem a ocorrer frente ao Papão.

Passando para dentro de campo, O atacante Ismael poderá ser a novidade do time contra o Paysandu. O atleta esteve no time principal durante coletivo de quinta-feira. O atleta fez boa temporada com a camisa do Galo Carijó e pode roubar a vaga de Falque. Outro que deve ser confirmado no time é o zagueiro Douglas, mas a tendência será pela sua escalação na lateral direita.

Viagem: desgaste não preocupa

Duas horas de viagem de Belém a Brasília e outras três da Capital Federal a Rio Branco, intercaladas com alguns minutos de um chá de cadeira no aeroporto. Um deslocamento, sem dúvida, desgastante. Mas, de acordo com o meio-campista Leandro Lima, isso deve ser deixado do lado de fora do campo pelo time do Paysandu no jogo de hoje, contra o Atlético-AC. A ordem, segundo o atleta, é usar o fator superação para que o Papão, finalmente, acabe com a marca negativa de seis jogos sem vitória na temporada e, consequentemente, atinja posto mais alto na classificação da Série C do Brasileiro.

“Tem de superar, não dá pra ficar pensando na viagem. A gente tem de passar por cima de tudo isso. Só estamos pensando no jogo. A viagem fica um pouco pra trás”, afirmou Lima. O atleta poderá até começar a partida como titular, substituindo Tiago Luís, que ainda se ressente de um melhor condicionamento físico. Se isso ocorrer, ele garante estar pronto para atender ao chamado do técnico Hélio dos Anjos.

“Venho entrando bem. Infelizmente, sempre que tenho entrado, algum jogador nosso tem sido expulso. Caso eu venha a começar a partida, estou pronto, com certeza”, avisou. Quando ao adversário, que assim como o Papão anda “quebrado das pernas”, Lima analisou: “Em primeiro lugar, a gente tem de respeitar a equipe que vamos enfrentar, mas sabemos da importância que tem esse jogo pra nós. É uma equipe que ainda vem conhecendo como funciona o campeonato. É um jogo de muita importância pra gente dentro do campeonato”, concluiu.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment