APÓS TUMULTO

Paysandu se manifesta sobre confusão na Curuzu e garante providências

POSTADO EM: Terça-Feira, 14/05/2019, 15:19:50
ATUALIZADO EM: 14/05/2019, 16:47:07

zoom_out_map
Maycon Nunes/DOL

O Paysandu se pronunciou sobre os incidentes que ocorreram no estádio da Curuzu, no último sábado (11), onde o time bicolor foi derrotado pelo Juventude-RS, por 1 a 0, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.

O clube bicolor informa que repudia todo e qualquer tipo de violência, seja dentro ou fora do estádio após os incidentes causados por um torcedor, que acabou sendo levado para delegacia onde acabou sendo registrado um boletim de ocorrência.

Além deste episódio, o clube se manifestou de acordo com uma torcedora que foi agredida  e lamentou a falta de apoio do clube após o jogo. Para isso, o clube irá realizar uma reunião para evitar novos casos como este e tomar atitudes que possam preservar a integridade das pessoas, além de sempre estar em contato com órgãos de segurança para evitar transtornos aos seus torcedores.

VEJA NOTA

O Paysandu Sport Club lamenta e repudia todo e qualquer ato de violência praticado contra quem quer que seja, dentro ou fora de praças esportivas, ao mesmo tempo em que defende o direito à liberdade de expressão e manifestações pacíficas.

Sobre os fatos ocorridos na noite do último sábado (11), após a partida diante do Juventude-RS, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro da Série C, no Estádio da Curuzu, o clube esclarece que:

Lucas Amorim Carnevali de Araújo foi detido por atirar um par de sandálias em direção ao time adversário e, em seguida, encaminhado à Seccional Urbana de São Brás para a confecção do Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO);

Quando o árbitro finalizou a súmula, os representantes do clube ainda estavam na delegacia, pois encontraram dificuldades para registrar o Boletim de Ocorrência, já que o delegado de plantão entendeu que não era necessário fazer o TCO, embora tenha ouvido relatos de colaboradores do Paysandu e de representantes da Polícia Militar do Estado do Pará (PMPA) de que, ao atirar os objetos, o acusado causou um grande tumulto nas arquibancadas;

Com base no Estatuto do Torcedor e no Código Penal, o clube já começou a fazer uma representação criminal contra o envolvido, para suprir a ausência do TCO que não foi feito;

Não cabe ao clube julgar ou avaliar o trabalho de qualquer autoridade de segurança, uma vez que essa função tem de ser executada somente pelo próprio órgão;

O clube vai se reunir, na tarde desta terça-feira (14), com o delegado-geral adjunto da Polícia Civil do Estado do Pará (PCPA), Dilermano Tavares, para tratar de tudo que ocorreu no jogo passado;

A Diretoria de Segurança sempre se reúne com os órgãos responsáveis para definir as estratégias que antecedem as partidas, sempre em busca de melhorias;

O Paysandu também solicitou para o próximo dia 23 deste mês uma reunião com todos os órgãos de segurança pública, a fim de melhorar cada vez mais o trabalho e evitar transtornos 

 

O clube bicolor aguarda posicionamento do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), sobre possível julgamento, o que poderá punir o clube com multa e até perda de mando de campo após um torcedor jogar uma sandália no gramado do estádio Leônidas Castro.

  • E MAIS: Quer comprar material esportivo mais barato? Clique Aqui

(DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment