INSATISFAÇÃO

'Treino é jogo, jogo é guerra!', dizia faixa de protesto de membros de uma torcida azulina

POSTADO EM: Quarta-Feira, 13/03/2019, 09:43:30
ATUALIZADO EM: 13/03/2019, 09:43:30

zoom_out_map
Octávio Cardoso

O ala Djalma e o zagueiro Kevem deixaram claro que alguns fatores extracampo pesaram para as más exibições da equipe nos últimos jogos, nesta segunda-feira (12). Com isso, a presidência do Clube do Remo providenciou, antes do treinamento de ontem, a presença de profissionais de Coach para o estimulo emocional do plantel. A sessão até atrasou a movimentação, com portas fechadas para evitar interrupção. No entanto, os profissionais mal poderiam imaginar que a injeção de ânimo ocorreria, em seguida, nos gramados. Pela segunda vez em menos de dois meses – dessa vez com mais integrantes –, membros de uma organizada estiveram no Baenão para cobrar “postura” do time, com direito à faixa com os dizeres “Treino é jogo, jogo é guerra”.

A organizada foi autorizada pelos dirigentes e, presente no alçapão azulino, o presidente Fábio Bentes aproveitou para comentar sobre a situação, as cobranças, as dispensas e os próximos passos da equipe. Confira!

PROTESTO

Eu acho que o torcedor tem todo o direito de dialogar, de protestar, desde que seja pacífico. O que se viu foi um protesto pacífico, normal. Jogar em time grande é isso. Os jogadores estavam preparados que isso iria acontecer em mais dia, menos dia. Não vejo nenhum problema nisso. Eles cobraram resultados em campo, cobraram atuação, derrota no clássico, eliminação pro Serra-ES (na Copa do Brasil)... Esse time está muito focado no trabalho.

COACH

O nosso time iniciou um trabalho mental. Estamos com uma coach. Os trabalhos iniciaram hoje (ontem) e acontecerão ao longo de toda a semana, sempre antes do treino. Pretendemos fazer 10 sessões até o Re-Pa e, junto com a preparação física e técnica, vamos fazer agora de forma mais efetiva, a preparação mental.

Membros de uma torcida organizada do Remo foram ao Baenão protestar por um melhor desempenho do time em campo. O Leão lidera grupo no Parazão (Foto: Octávio Cardoso)

ELENCO

Nós fizemos o distrato com dois atletas, o Welton e o Victor Luiz. Foi opção nossa em conjunto com a diretoria e comissão técnica. A gente acha que os atletas não iriam mais ajudar pra continuidade do campeonato. A gente avaliou a necessidade desses desligamentos. Estamos com deficiência no elenco em virtude de algumas contusões na lateral-esquerda e com um nível abaixo. Vamos reavaliar algumas coisas para que não fuja daquilo que nós planejamos.

AÇÃO TRABALHISTA

Estaria marcada para hoje (ontem) a primeira audiência reclamada por Givanildo Oliveira (ex-técnico do Remo) em João Pessoa (PB). Processo é para isso, se defender. O Remo foi notificado, mas o Remo entrou com concessão de competência, que deveria ser julgado em Belém, então estamos aguardando a decisão do juiz para ver se será marcado novamente lá ou será trazido para o Fórum de Belém. Não é nenhuma novidade. Entramos no Remo sabendo que iriamos encontrar isso.

GRUPO

O campeonato está em andamento e a gente acredita que esse grupo tem plenas condições de conquistar o campeonato. Somos líderes do nosso grupo. Com uma vitória no sábado, contra o Independente, podemos garantir nossa classificação antecipada.

BATE-PAPO

O que aconteceu hoje (ontem), já disse que é natural. Entendo que o torcedor tem todo o direito de cobrar. Eu vou tá lá, dando a cara à tapa, pra ser cobrado. Acho que é justo e vou responder: vou ouvir sugestões, críticas... Acho que o Remo é isso, não tem o porquê se esconder. Acho que é nessa hora que a gente separa os homens dos meninos.



COMENTÁRIOS mode_comment