NÃO TÁ MOLE

Brigatti afirma que 'não está tranquilo' com a proximidade da estreia no Parazão

POSTADO EM: Sexta-Feira, 11/01/2019, 08:47:46
ATUALIZADO EM: 11/01/2019, 09:27:19

zoom_out_map
Ricardo Amanajpas

Conhecedor do Campeonato Paraense, por tê-lo disputado em 2014 na função de auxiliar do treinador Mazola Júnior, o técnico do Paysandu, João Brigatti, campeão daquela temporada, projeta dificuldades para a sua equipe durante a competição deste ano, que volta a ser disputada em gramados pesados devido o período chuvoso no estado. O comandante do Papão imagina já na estreia, dia 23, contra o São Francisco, de Santarém, na Curuzu, um jogo de muitos obstáculos, que precisarão ser superados por sua equipe. Brigatti afirma estar preocupado, visto que a ideia que alimenta é de arrancar bem na disputa.

“Não estou tranquilo”, garante o técnico. “Não me deixo enganar. Sei que as dificuldades serão tremendas no campeonato regional”, prevê Brigatti. Ele revela que já vem procurando conscientizar os atletas do Papão para que não sejam surpreendidos em campo diante do Leão santareno. “Tenho passado isso tudo aos nossos jogadores”, informa. O treinador, usando a linguagem de boleiro, afirma que o time terá de ter muita raça e determinação em seu primeiro compromisso no campeonato, caso queira deixar o gramado com os três pontos.

“Tem que literalmente ‘ralar a bunda’ no chão mesmo”, recomenda Brigatti. O técnico ressalta a importância da competição para as equipes de porte médio, como é o caso do São Francisco, que não abrem mão de roubar ponto diante dos chamados grandes da capital. “A gente vai jogar contra adversários do interior do estado que vêm aqui (em Belém) para jogar a partida da vida deles”, argumenta. “Então, nosso time precisa estar preparado para que não seja surpreendido”, ensina.

O treinador ressalta o fato de o Parazão ser disputado em campos pesados, devido o período de inverno, com alguns locais, muitas das vezes não merecendo ser chamados de gramados. Em função disso, ele procurou priorizar, conforme explica, a vinda de atletas de boa compleição física. “Jogadores guerreiros mesmo, que saibam da dificuldade que é o Campeonato Paraense em razão das chuvas”, ressalta Brigatti. “Não podem ter surpresas”, observa.

O treinador se diz satisfeito com o elenco que está praticamente fechado para a primeira competição do calendário do clube, que é o Estadual. Ainda no primeiro semestre, o Papão deverá disputar a Copa do Brasil, podendo ganhar algumas novas peças para o seu elenco, conforme adiantou, em coletiva, o diretor de futebol Felipe Albuquerque, um dos responsáveis pela montagem do grupo de jogadores juntamente com o presidente Ricardo Gluck Paul e o próprio treinador do clube.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

PROGRAMAÇÃO

- Há oito dias se preparando para a estreia no Estadual, o time do Paysandu tem enfrentado uma sequência de treinos com bola realizados em gramados com dimensões reduzidas. O técnico João Brigatti tem priorizado esse tipo de atividade no dia a dia do clube. Foi assim, ontem pela manhã, quando ele ministrou a única atividade do elenco, no campo do FQ, no Tapanã. A movimentação tem como objetivo melhorar a posse de bola e, ao mesmo tempo, a distribuição rápida e eficiente da equipe, principalmente do meio de campo pra frente.

- O treino, de acordo com um dos membros da comissão técnica bicolor, serve para atiçar a criatividade dos atletas, que tendo pouco espaço para sair da marcação e criar as jogadas, precisam mostrar toda a eficiência possível. Após a atividade matinal, Brigatti resolveu conceder folga, na parte da tarde, para o elenco, que segue concentrado no hotel Antônio Diogo Couceiro. 

 Hoje, o plantel retorna ao batente, também em um período, o da manhã, no FQ. No sábado, a programação prevê treino à tarde, no CT da Desportiva, e no domingo mais trabalho, com movimentação pela manhã e à tarde, no CT da Desportiva e Curuzu, respectivamente. Na próxima semana, tudo indica, Brigatti deverá começar a priorizar os coletivos.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment