PLANEJAMENTO

Sob novo comando, a direção do Remo mantém como principal anseio o acesso à Série B

POSTADO EM: Quinta-Feira, 22/11/2018, 11:14:25
ATUALIZADO EM: 22/11/2018, 11:21:20

zoom_out_map
Wagner Santana/Diário do Pará

Desde que retornou à Série C do Campeonato Brasileiro, em 2016, o Clube do Remo alternou no comando três gestões, cujo líderes foram: André Cavalcante, Manoel Ribeiro e o recém-presidente eleito, Fábio Bentes. No caso de Bentes, que ainda se encaminha para fechar o primeiro mês à frente do Conselho Diretor (Codir), também existe o desejo de conquistar o sonhado acesso à Série B do futebol nacional.

Por servir como um amparo comercial, financeiro e até de resgate da credibilidade da instituição, voltar à Segunda Divisão está no topo da lista de ambições, já que o sucesso em campo beneficiará todo o clube. Exemplos disso são as péssimas campanhas na Terceirona em 2016, 2017 e 2018, que deixaram o Remo a ver navios no que se refere ao planejamento em outras bases, como o estádio Baenão que, tudo indica, finalmente irá reabrir as portas em fevereiro do ano que vem. 

Dessa maneira, para não repetir os deslizes passados, a atual diretoria responsável pelo futebol frisou que o trabalho será diferente e, caso o Leão suba, que permaneça, no mínimo, por mais um ano colhendo os frutos na divisão de cima. Mas, a pergunta que não quer calar é como fazer diferente?

A eleição dos novos diretores reacendeu no torcedor a esperança de dias melhores. Porém, até o momento, assim como nas gestões passadas, os procedimentos com o futebol estão sendo feitos da mesma maneira: contratação de um executivo com perfil econômico; montagem do elenco com foco na Segundinha, base, remanescentes e contratações pontuais; além de um teto salarial estipulado para não “quebrar” a firma ao longo do próximo ano.

Para Fábio Bentes, no entanto, o verdadeiro diferencial será justamente no desenvolvimento. “É tudo uma questão de prioridade. O formato não pode mudar (montagem), mas reestruturar e profissionalizar o departamento, a metodologia e, paralelamente, resgatar aqueles departamentos que são de suma importância para a eficácia em campo, como o médico, por exemplo”, esclareceu o cartola.

PLANOS

A diretoria de futebol salienta outros detalhes que servirão de apoio para que, ao final da próxima temporada, o desfecho seja com sucesso. “Todo o cuidado de formar uma base, não só de jogadores, mas por trás deles, é o que nos motiva. O desejo não é só subir com o Remo, mas manter o Remo e arrumar a casa com isso. O plano é grande”, diz o diretor Dirson Neto.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment