RECORDAÇÃO

Torcedor relembra 'aventura' e promessa após título bicolor de Campeão dos Campeões

POSTADO EM: Sábado, 04/08/2018, 17:00:12
ATUALIZADO EM: 04/08/2018, 17:28:34

zoom_out_map
Reprodução / Facebook

O dia 4 de agosto é considerado histórico para os torcedores do Paysandu, que recordam nas redes sociais a conquista do título da Copa dos Campeões, o que levou o Papão para a inédita Taça Libertadores e entre jogadores e comissão técnica, alguns torcedores enfrentaram a distância Belém-Fortaleza para ver o momento maior da história bicolor.

Foi o que aconteceu com o engenheiro civil Luis Aleixo, que enfrentou desafios para chegar à capital cearense e testemunhas a história que foi escrita com Vandick, Jóbson, Vélber, Luis Fernando, Sandro e outros bicolores.

“Enfrentamos 23 horas de viagem de carro de Belém para Fortaleza-CE, onde paramos para abastecer e nos alimentar. Quando chegamos no estádio, tinha mais torcedores do Paysandu do que o do Cruzeiro-MG, que achava que ia ser campeão depois de vencer o jogo aqui”.

“Foi uma grande alegria, pois tinham torcedores europeus torcendo pelo Paysandu no Castelão com a gente e a ficha caiu do sonho quando o Luis Fernando marcou o gol do título. Foi um sonho se tornando realidade ver o Paysandu indo para a Libertadores”, relatou o torcedor.

Luis ainda relatou outros fatos e uma promessa que cumpriu após o título do torneio.

“Ainda fomos para o hotel comemorar, mas ficamos pouco tempo pois tínhamos que voltar para Belém pois queríamos pegar um pouco da festa e no trajeto nós pudemos ver vários torcedores com a camisa do Paysandu, caminhões com a bandeira do Paysandu. Não era um sonho e sim uma realidade”, relatou.

“Durante o jogo, eu fiz uma promessa a Nossa Senhora que se o Paysandu fosse campeão, eu iria fazer uma bandeira com a Virgem de Nazaré e ia com ela todos os jogos que o Paysandu. Graças a Deus cumpri a promessa com o título e sempre que vou ao estádio levo a bandeira”.

(Foto: Acervo Pessoal)

 

Atualmente, Luis Aleixo está noivo e mesmo assim, leva a noiva para o estádio para os jogos do Papão da Curuzu.

(Foto: Acervo Pessoal)

 

A memória de Aleixo e de outros torcedores do Paysandu que viveram esta data não é exclusiva deles, pois os jogadores também lembram do dia de hoje, por meio das redes sociais.

(Diego Beckman/DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment