O JOGO VIROU

Papão quer manter a invencibilidade na 'Era Guilherme Alves'

POSTADO EM: Terça-Feira, 31/07/2018, 07:18:17
ATUALIZADO EM: 31/07/2018, 07:54:21

No embalo de um empate fora de casa, contra o Oeste-SP, e duas vitórias em Belém, diante de Guarani-SP e Figueirense-SC, o Paysandu tenta, hoje, frente ao Atlético-GO, no estádio Pedro Ludovico, em Goiânia, dar sequência à fase positiva que vive desde a estreia do técnico Guilherme Alves, a partir das 21h30, pela 19ª rodada da Série B do Brasileiro. O Papão que antes temia despencar para a zona de “degola” da competição, agora, com os sete pontos somados em seus últimos três jogos, já mira o G4, embora o seu treinador procure ser cauteloso, lembrando que o time ainda está na zona intermediária.

Com ou sem empolgação, o certo é que o Paysandu mudou da água pro vinho após a chegada do novo comandante, o que é admitido até mesmo por verdadeiros “escudeiros” do ex-treinador bicolor, Dado Cavalcanti. “O Guilherme soube trabalhar em cima da confiança dos atletas”, justifica o meia Pedro Carmona. “Ele criou uma competitividade muito grande nos treinos”, conta o apoiador. De fato, a intensidade, como gosta de dizer o técnico, da equipe é bem maior que nas últimas partidas em que foi dirigida pelo ex-técnico do clube.

A expectativa de Guilherme é que o grupo que dirige aumente ainda mais o vigor no confronto com os goianos, mesmo se tratando de um jogo fora de casa. “À medida que o time vai ganhando confiança, a tendência é que essa intensidade seja cada vez maior”, avisa. Para que o grupo não perdesse o foco no campeonato, o treinador não deu folga a ninguém, trabalhando duro no final de semana, até em função do pouco tempo que tinha para se preparar para o confronto.

Se a viagem dos bicolores, se pode dizer, aconteceu de afogadilho, o adversário também não teve muito tempo para respirar da 18ª rodada para a seguinte. No sábado, a equipe goiana caiu, em Sorocaba, por 2 a 1, diante do São Bento-SP, mantendo os 27 pontos, que lhe garantem, no momento, a 8ª colocação na classificação. Ferido pelo revés, o adversário bicolor, claro, buscará, hoje, fazer o seu dever de casa. O fato de estar vindo de sua segunda vitória seguida, garante aos bicolores uma dose extra de motivação para a partida.

“Agora já começamos a enxergar o G4”, festejou o zagueiro Diego Ivo, após os 2 a 0 aplicados no Figueira. Vencendo o Atlético, o Papão ainda não entrará no G4, visto que somaria, neste caso, 27 pontos, um a menos que o Avaí-SC, último no “pelotão” de frente do campeonato. Sem contar que um batalhão de disputantes tem pontuação melhor. Mas o time ao menos já poderá visar com mais nitidez o G4.

E MAIS... 

- Depois de tropeçar frente ao São Bento-SP, fora de casa, perdendo, por 2 a 1, o Atlético vê no Paysandu a chance de se reabilitar na Série B do Brasileiro. Mas, para o confronto de hoje, o técnico Cláudio Tencati não dispõe de sua equipe completa, tendo ao menos um desfalque para o confronto: o meia-atacante Renato Kayser. O jogador foi “premiado” com o terceiro cartão amarelo no jogo em Sorocaba e, desta maneira, terá de cumprir uma partida de suspensão. Até ontem à tarde, Tencati não havia de que maneira recomporá o ataque de sua equipe.

- A tendência, porém, é de que ele lance mão de um substituto conhecedor da Série B, na qual fez alguns jogos pelo time, no caso Júlio César. Desta forma, o treinador evitará que o ataque atleticano venha a sentir tanto a ausência de Kayser. Embora o time venha de derrota, Tencanti faz apenas, a princípio, apenas a mudança obrigatória, mantendo o restante da base que vem atuando. A equipe goiana fez ontem o seu apronto e, em seguida, entrou em regime de concentração para a partida.

- O Dragão, apelido do time goiano, tem um aproveitamento regular na competição atuando dentro de seus domínios: 55,5%. Em seus dois últimos jogos em Goiânia empatou (2 a 2) com o CSA-AL e derrotou o Boa Esporte-MG (2 a 0). Agora espera fechar a 19ª rodada da competição não só se redimindo do tropeço como visitante na rodada passada, mas sobretudo deixando sua torcida confiante no acesso com uma apresentação convincente frente aos bicolores.

Edimar alerta para o ataque adversário

A agilidade do ataque do Atlético-GO, de acordo com o zagueiro Edimar, é uma das preocupações da defesa do Paysandu para a partida de hoje, em Goiânia. O defensor informou, inclusive, conhecer um dos integrantes do setor ofensivo atleticano. “Tenho um amigo que joga lá no ataque deles, sei como é, um ataque leve e rápido”, detalhou. O zagueiro salientou que para evitar surpresas desagradáveis, a defesa bicolor deve ter o mesmo comportamento que teve em suas últimas apresentações.

“Temos de tomar cuidado, como tivemos contra essas duas equipes que enfrentamos (Guarani e Figueirense). Temos de ficar ligados, com concentração alta, para neutralizar o adversário e fazer um grande jogo”, ensinou o zagueiro. Para Edimar, o fato de o Paysandu não ter levado gols em seus dois jogos anteriores, vencendo as equipes paulista e catarinense por 1 a 0 e 2 a 0, respectivamente, deve ser motivo de satisfação para o grupo. “Ficar dois jogos nesta Série B sem tomar gols é um ponto muito positivo”, avaliou.

Assim como os demais jogadores do time, independente da posição, Edimar elogia o trabalho do técnico Guilherme Alves, o responsabilizando pela mudança da atitude do grupo em campo. “O Guilherme chegou dizendo que nossa pegada tinha de mudar e que a gente tinha de retornar àquilo que conquistamos naqueles primeiros jogos em que tivemos vitórias”, observou. O fato de o novo comandante ter aberto alguns treinos da equipe à torcida, está sendo positivo. “Pra mim, com o torcedor mais próximo ele pode saber o que a gente está produzindo. Então isso foi importante e que a gente possa ter esse contato nos treinamentos e nos jogos”, disse.

Aqui você vai encontrar materiais esportivos de todas as marcas. Camisas de grandes clubes nacionais e internacionais. Acesse e confira!

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment