BAIXA NO ATAQUE

Paysandu tem poucas chances de encontrar um substituto do mesmo nível de Cassiano

POSTADO EM: Domingo, 08/07/2018, 08:49:51
ATUALIZADO EM: 08/07/2018, 09:01:00

zoom_out_map
Fernando Torres/Paysandu

Embora tenha negado fogo nos dois últimos jogos que fez pelo time e ficado de fora de outras duas partidas por problema de lesão, a saída do gaúcho Cassiano do elenco do Paysandu poderá representar uma perda irreparável para o cube. Principal goleador do Papão na temporada, com 20 gols em 30 partidas, Cassigol, como era chamado pela torcida, dos jogadores da posição de atacante, foi até aqui o único que conseguiu justificar sua vinda para a Curuzu na temporada, sendo peça chave na única conquista do clube na temporada, o título da Copa Verde, da qual foi artilheiro, com 9 gols.

Não bastasse a liderança na tábua de goleadores da CV, Cassigol ainda era o atacante que vinha dando conta do recado na Série B do Brasileiro, figurando entre os principais “matadores” do campeonato, com 6 gols, mesma marca de Brandão Júnior, do Atlético-GO; Renato, do Avaí-SC e Gustavo, do Fortaleza-CE, que ocupam, também, a vice-liderança na tabela de goleadores do campeonato, superados apenas por Lucão, autor do Guarani-SP, autor de sete tentos na competição.

Com o Brasileiro da Série B em andamento, será bem difícil para a diretoria do Papão encontrar um substituto à altura para o agora ex-artilheiro do time, que está se transferindo para o futebol da China. Os principais jogadores, sejam atacante ou de outras posições, estão empregados, o que faz com que o mercado se apresente bastante escasso.

Com a falta de jogadores disponíveis, a tendência é que se houver alguém de qualidade dando sopa no mercado, o valor da contratação deve ser astronômico para as condições financeiras do clube. Assim sendo, o torcedor do Papão vai ter de se conformar com os atacantes que o técnico Dado Cavalcanti tem, ou quem venha a substituí-lo no futuro, e torcer para que eles consigam desencantar ou que o clube acabe sendo premiado pelos deuses do futebol com uma aquisição que surpreenda.

NÚMEROS INGRATOS 

Mas, os números dos atacantes disponíveis na Curuzu, pelo menos até aqui, não têm deixado, diga-se, um fio de esperança para o torcedor. Só para se ter uma ideia, depois de Cassiano, os principais artilheiros do clube na Segundona são Renato Augusto e Thomaz, que são volante e meia de ligação, respectivamente. Dos atacantes utilizados por Dado até aqui na competição, apenas Magno e Mike conseguiram balançar a rede, uma vez cada um.

Os demais – Claudinho, Dionathã, Moisés, Renan Gorne, Matheus Silva e Anderson, estes dois últimos da base, ainda não conseguiram marcar. Ressalte-se que a dupla vinda das divisões inferiores, ainda não teve a oportunidade de atuar no Brasileiro. Um retrospecto, sem dúvida, para deixar mesmo o mais otimista dos torcedores bastante preocupado, visto que o campeonato está apenas em sua metade e com o time caindo pelas tabelas.

Histórico

Espaço foi conquistado do zero

Não fossem os dois gols que marcou contra o próprio Paysandu, pela Série B de 2017, o atacante Cassiano teria chegado à Curuzu como um mero desconhecido. Contratado, no começo do ano como um dos candidatos ao “trono” de goleador do time, deixado pelo ex-ídolo da Fiel, Bergson, que no ano passado, balançou a rede por 28 vezes, o jogador gaúcho nunca, ao longo de sua carreira, teve tanta felicidade em um clube.

Em sua ex-equipe, o Brasil-RS, ele não passou de míseros 4 gols em 17 partidas. O desempenho ruim, porém, começou já no São José-RS, onde o gaúcho, em 5 temporadas, quatro delas consecutivas, balançou a redes apenas uma única vez, em 12 partidas que fez. O jogador marcou, também, apenas 4 gols em sua passagem pelo Santa Cruz-PE, em 2014.

O retrospecto ruim não recomendava em nada que Cassiano chegasse ao estádio bicolor. Mas, desde os primeiros jogos, ainda pelo Estadual, Cassiano passou a merecer a alcunha de Cassigol, marca que fez com que ele fosse monitorado e contratado pelo futebol da China.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment