VAMOS SUBIR, PAPÃO!

Na zona intermediária, o Papão luta hoje para vencer o CRB

POSTADO EM: Sábado, 23/06/2018, 10:38:09
ATUALIZADO EM: 23/06/2018, 10:38:09

zoom_out_map
Jorge Luiz/Paysandu

Com 3 jogos sem vitória na Série B do Brasileiro - 2 derrotas e 1 empate-, o Paysandu entra em campo, hoje, no estádio Rei Pelé, em Maceió, para enfrentar o CRB-AL, às 21 horas, com a difícil missão de se reabilitar no campeonato, no qual ocupa a 9ª colocação, com 16 pontos. O Papão ocupa a zona intermediária do campeonato, distante 4 pontos do Figueirense-SC, último colocado do G4, o paraíso da competição, e o mesmo tanto de pontos para o Oeste-SP, que tem 12 pontos e encabeça a chamada zona da “degola”, onde também figura o rival bicolor, 18º colocado, com apenas 11 pontos.

Ainda que vença o Galo, o Papão, portanto, ainda não chegará ao G4, mas, ao menos, se aproximará dele, o que já servirá de alento à Fiel. Para os donos da casa, a partida tem significado mais importante, visto que fazendo o seu dever de casa, o CRB chegará a 14 pontos e, dependendo da conjugação dos resultados de alguns dos demais jogos da 12ª rodada, poderá deixar a zona da morte. O Paysandu busca reencontrar os bons resultados obtidos pelo time jogando fora de casa, que marcou o começo da participação bicolor na Série B.

Em suas primeiras participações atuando como visitante, o Lobo arrancou 5 pontos. Depois, porém, a equipe bicolor perdeu o prumo, sofrendo três derrotas seguidas. Hoje, os bicolores ostentam um aproveitamento, como visitante, de apenas 27,8%, percentual bem inferior ao do começo da Série B.

Menos mal que o CRB não tem se comportado com tanta eficiência atuando dentro de seus domínios. O time alagoano tem aproveitamento de 46,7% nos jogos que fez no “Rei Pelé”. Diante do Papão, o Galo busca duas vitórias seguidas no campeonato, algo que seria inédito na participação da equipe no campeonato. Os alagoanos vem de uma vitória, em casa, por 2 a 0, frente a Ponte Preta-SP. O CRB jamais esteve no G4.

Atualmente os bicolores tem um aproveitamento total de 48,5%, enquanto o CRB tem bem menos: 33,3%.

O lado de lá... CRB quer respirar no campeonato

- O CRB continua a tentativa de fuga da zona de rebaixamento da Série B. Após derrotar a Ponte Preta-PE, em sua casa, o Galo enfrenta o Paysandu com um só propósito: emplacar o segundo triunfo seguido diante de sua torcida, o que ainda não aconteceu na competição, mas que para o técnico Júnior Rocha e seus comandados não parece ser algo do outro mundo. 

- A ordem entre os alvirrubros é chegar aos 14 pontos, que poderão representar o adeus, pelo menos temporário, ao inferno da zona da morte, dependendo de alguns outros resultados da 12ª rodada que será fechada com os jogos de hoje. “É vencer ou vencer para manter a sequência positiva na competição”, disse o goleiro João Carlos. Júnior Rocha tem apenas um desfalque em sua equipe. O meia Cleiton Xavier, suspenso, não joga.

Atenção se volta para o ataque bicolor

SEM CASSIANO

Sem o seu principal jogador do setor, o artilheiro Cassiano ficou em Belém tratando de um princípio de contusão na região pubiana, a composição do ataque do Paysandu para encarar o CRB é, sem dúvida, a grande incógnita. O técnico Dado Cavalcanti levou para Maceió um total de seis atacantes e pelo menos dois deles devem ser acionados para o começo da partida. As apostas maiores são de que Dionathã, pela boa participação que teve contra o CSA-AL, seja um dos escolhidos. A outra vaga está entre Claudinho, Magno, Moisés e Renan Gorne.

Como deve entrar no 4-3-3, o terceiro homem ofensivo do time tende a ser Thomaz, que é meio de campo de origem, mas que tem sido utilizado por Dado atuando adiantado, como uma espécie de auxiliar dos atacantes. Mas, independentemente de quem quer que seja escalado, os bicolores deixaram Belém conscientes de que precisam retomar o caminho da vitória sob pena de ficarem mais longe do acesso.

EQUIPE ESPERANÇOSA

“Contra o CSA tivemos um bom volume de jogo, mas arriscamos pouco a gol. Agora, temos de repetir a boa atuação que tivemos, mas com um acerto maior nos arremates finais para o gol do adversário”, recomendou o meia Pedro Carmona. A opinião é compartilhada pelo goleiro Renan Rocha. “Estamos conscientes de que perdemos dois pontos em casa contra o CSA e que agora temos de buscar lá fora. Que esses três pontos sejam logo contra o CRB, na próxima rodada. Não dá para deixar passar”, alertou o arqueiro bicolor.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment