PAPÃO ESTAGNADO

Paysandu acumula nova derrota para um time da parte baixa da tabela

POSTADO EM: Sábado, 09/06/2018, 09:49:50
ATUALIZADO EM: 09/06/2018, 09:49:50

zoom_out_map
Jorge Luiz/Paysandu

O Paysandu voltou a ressuscitar mais um “morto” na Série B do Brasileiro. Após ser goleado pelo Criciúma-SC (4 a 1), ontem, o Papão voltou a cair diante de outro adversário da zona de rebaixamento, o Goiás-GO, que derrotou o visitante, por 2 a 1, de virada, no estádio Pedro Ludovico, em Goiânia, pela 10ª rodada do campeonato. A derrota manteve a equipe bicolor estacionada na 5ª colocação, com 15 pontos, mas os bicolores poderão se distanciar ainda mais do G4 no final da rodada. O Goiás passou a somar 8 pontos, na 17ª colocação, portanto, ainda na parte baixa da classificação.

Nem bem a bola rolou e, aos 8 minutos, o técnico Dado Cavalcanti já teve de mexer no Papão, trocando Douglas Mendes, lesionado, por Perema. O Periquito começou pressionando e até chegou a abrir o placar, mas com Carlos Eduardo, que estava impedido. Aos 14, o Papão deu o troco de maneira fatal, fazendo 1 a 0 por intermédio de Renato Augusto, em jogada de contra-ataque.

O Papão explorava erros do Goiás, indo para o ataque em velocidade. Aos 22, Carlinhos desperdiçou a chance de fazer 2 a 0, batendo para fora. O Periquito abusava do toque de bola sem objetividade. Contudo, aos 32, Alex chutou, a bola desviou em Ivo e ganhou a rede. Periquito 1 a 1. O time goiano ainda teve fôlego para virar, aos 44, com Lucão aproveitando falha de Edimar, para fazer 2 a 1, placar do primeiro tempo.

O Papão voltou serelepe na segunda etapa, mas foi o Goiás quem primeiro levou perigo, com Michael carimbando a trave, aos 19. O time esmeraldino deu um calor no adversário e por pouco não amplia a vantagem. O Periquito voltou a acertar a trave em chute de Cajá. O Paysandu pulava uma verdadeira fogueira, com o adversário perdendo, por baixo, umas quatro chances de aumentar a vantagem, em mais uma fraca apresentação dos bicolores no campeonato. 

Suspensos 

O técnico Dado Cavalcanti não poderá contar com o meia Thomaz e o atacante Claudinho no sábado (16), contra o CSA-AL. Os jogadores receberam, ontem, o terceiro cartão amarelo e, assim, terão de cumprir suspensão.

REAÇÃO 

E TEM ALGO PRA FALAR?

Assim com o aconteceu na goleada sofrida em Santa Catarina, a maioria dos jogadores do Paysandu deixou o gramado do “Pedro Ludovico”, ontem, sem dar papo para os repórteres. Não se sabe se aborrecidos ou envergonhados pelo segundo vexame dado pelo time, que em três jogos contra adversários que estão na zona de rebaixamento - Boa Esporte-MG, Criciúma-SC e Goiás-GO - só conseguiu fazer 3, dos 9 pontos que disputou, e assim mesmo em casa, com o apoio da Fiel.

Os poucos atletas que deram a cara pra bater admitiram a superioridade do Goiás, exceção ao zagueiro Diego Ivo, que parecia ter participado de um jogo que não existiu. “Tentamos jogar. Fizemos a nossa parte. Jogamos bem, criamos, mas acabamos sofrendo os gols”, comentou o defensor, sem nenhuma razão. O atacante Cassiano, que curiosamente passou em branco contra duas de suas ex-equipes - Criciúma e Goiás - foi mais realista. “O Goiás foi bem no jogo e conseguiu superar a nossa equipe”, admitiu. A torcida bicolor, como não poderia deixar de ser, segue ainda mais irritada com o time.

Para esfriar a cabeça... presidente vai para a rússia na excursão da CBF

- O presidente do Paysandu, Tony Couceiro, deixará, momentaneamente, ocomando do clube. Ele se licenciará da função na sexta-feira (15), quando o vice de operações e advogado do clube, Alexandre Pires, passará a dirigir o Papão. Couceiro viajará para a Rússia, onde acompanhará o Mundial 2018 atendendo convite feito pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que também premiou dirigentes de outros clubes e de federações estaduais. Couceiro reassume o cargo somente assim que retornar ao Brasil.

- Todas as despesas de deslocamento e hospedagem, além de outros mimos,dos cartolas convidados serão bancados pela entidade nacional. De acordo com os críticos da gestão da Confederação, o Trem da Alegria, que terá quase todos os presidentes de federações estaduais e outros 10 cartolas de clubes das Séries A e B, terá uma despesa estimada em torno de R$ 2 a R$ 3 milhões.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment