ELE É O CARA!

Cassiano já virou o xodó da torcida bicolor

POSTADO EM: Sexta-Feira, 27/04/2018, 08:19:51
ATUALIZADO EM: 27/04/2018, 08:19:51

zoom_out_map
Ney Marcondes

Com a marca de 9 gols, no torneio, que o transforma no maior goleador da história da Copa Verde, o atacante Cassiano desembarcou em Belém, ontem, feliz da vida. Aliás, a felicidade toma conta do atleta desde que ele chegou à Curuzu. Ao tomar conhecimento da marca alcançada, o artilheiro, que em 21 jogos pelo Papão soma 15 bolas na rede (9 na CV, 5 no Estadual e 1 na Série B), não escondeu o seu contentamento.

“Estou muito feliz por isso. É uma marca histórica, sem dúvida. Temos mais um jogo e vamos tentar fazer pelo menos mais um gol para melhorar essa marca”, comentou. O jogador tem admitido que este é o melhor momento da carreira dele, iniciada no interior do Rio Grande do Sul, região em que atuou pelo adversário de amanhã do Paysandu, no caso, o Brasil-RS. “Está sendo o melhor momento da minha carreira, até pelo nível de competição que estamos jogando. Estou muito feliz”, disse.

Cassiano não abre mão de enfrentar a ex-equipe. “Quero jogar. Vou fazer de tudo para jogar”, prometeu. “A gente sabe que é um jogo muito importante, pra dar uma arrancada muito boa na Série B”, salientou Cassiano.

Meta é garantir a 3ª vitória consecutiva

Da mesma forma que recomenda cautela quanto à decisão da Copa Verde, que segundo ele, “ainda está em aberta”, o técnico Dado Cavalcanti segue ministrando a mesma lição no tocante a participação do Paysandu na Série B do Brasileiro. O Papão vem de duas vitórias no Nacional, somando seis pontos, mas, segundo o comandante bicolor, “ainda é muito cedo para se prever alguma coisa”. Dado tem ressaltado que a competição é longa, com 38 rodadas, e que ela só está no começo.

“Ainda tem muita água para passar embaixo da ponte da Série B. Precisamos ter toda a humildade”, disse o treinador.

Dado, porém, sabe que o Papão precisa continuar se impondo na competição. “Temos a chance de somarmos nove pontos, independente da classificação, que não é hora para pensarmos nisso, mas na possibilidade de chegarmos a nove pontos em três rodadas. Essa deve ser a nossa busca”.

Sem muito tempo de uma partida para a outra, Dado já aproveitou o tempo que teve no Espírito Santo e no deslocamento para o jogo contra o Atlético-ES para estudar o próximo adversário do Papão. O técnico refutou a ideia de poupar alguns de seus jogadores para a partida de amanhã. “Odeio essa palavra poupar porque soa como se a gente estivesse desvalorizando o nosso próximo adversário. Vamos com o que temos de melhor, não necessariamente a repetição da mesma escalação. Se alguém não for para o jogo não será por estar sendo poupado, mas por não poder dar o seu melhor”, comentou.

(Nildo Lima/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment