TÍTULO MERECIDO

Elenco azulino é unânime ao afirmar que superação foi chave para a conquista

POSTADO EM: Segunda-Feira, 09/04/2018, 10:01:22
ATUALIZADO EM: 09/04/2018, 10:01:22

zoom_out_map
Wagner Santana/Diário do Pará

Ao longo dos quatro clássicos Re-Pa dessa temporada, uma coisa ficou clara sobre os confrontos: a superação acima da qualidade técnica. E, para muitos, essa foi a principal arma do Clube do Remo sobre o Paysandu nos quatro triunfos nesse ano. Inclusive, o grupo azulino reiterou essa característica na reta final do Estadual, já que era necessário algo mais do que propriamente organização tática/técnica nos duelos frente ao rival na decisão. 

O centroavante Isac que o diga. Alternando bons e maus momentos nos gramados, o jogador foi decisivo para o Leão nas partidas finais da equipe. Autor de três gols nas últimas três partidas, Isac destacou o empenho exacerbado do time para a conquista do Parazão, na noite de ontem. “É para isso que nós trabalhamos, por resultados, por vitórias. Graças a Deus pude ajudar a minha equipe com aquele gol. Parece que os favoritos não eram tão favoritos assim, né? Mas a gente trabalha assim, calado, procurando responder em campo. Valeu cada minuto de dedicação, de trabalho. Esse é o titulo da superação”, ponderou o centroavante, que terminou na artilharia remista, com seis gols no certame estadual. 

PAREDÃO

Assim como os atacantes demonstraram raça nos últimos jogos, o Clube do Remo contou com a superação do goleiro Vinícius, jogo após jogo, para garantir o título do Campeonato Paraense. Eficaz em quase todas as participações nos confrontos contra o Paysandu, no clássico de ontem, o jogador beirou a perfeição. Anulando todas as chegadas ofensivas dos bicolores, principalmente no segundo tempo, Vinícius, talvez, foi um dos grandes responsáveis pela conquista azulina. No entanto, o jogador fez questão de destacar o conjunto. “Não é só o Vinícius, é todo mundo. Aqui nós temos uma equipe. Fizemos o que tínhamos que fazer. Sem dúvidas é superação, não foi fácil, por isso sabíamos que tinha que ser alma nos jogos. Cada um fez sua parte para isso. Fico feliz com o reconhecimento, mas eles isso não seria possível”, disse o jogador.

LEVY: ‘FOI PRA ISSO QUE EU VOLTEI’

Criticado por uns, porém, aclamado por outros. A relação entre o lateral-direito do Clube do Remo, Levy, com a torcida azulina, embora recheada de críticas ao jogador por sua inconstância em campo, frequentemente é apaziguada em clássicos Re-Pa, justamente pelo poder de superação e raça do jogador em confrontos diante do maior rival. Com a vitória azulina, na tarde de ontem, por 1 a 0, o atleta chegou ao seu quarto título paraense defendendo o Leão. Para Levy, a conquista do caneco da competição demonstra o valor do grupo remista. “É sem palavras. Só nós sabemos o que fizemos para chegarmos até aqui. Passamos por cima de tudo para honrar essa camisa. Vencer o nosso maior rival em quatro oportunidades, é sem explicação. Isso diz muito sobre nós. Aqui não tem vaidade, e sim sacrifício em defender o Remo. O nosso torcedor pode esperar que ainda vai ter muita alegria nesse ano, porque estamos focados nisso”, esbravejou o jogador. Único remanescente do título de 2015, ano em que o Leão conquistava sua última taça do Estadual, o atleta comemorou a façanha. “Foi por isso que eu voltei ao Remo, por títulos. A gente sabe da cobrança alta em um clube como o Remo, não pode ficar sem isso. Todos estamos de parabéns, pela raça e pela evolução”, pontuou.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment