FINAL DO PARAZÃO

Givanildo Oliveira busca manter a invencibilidade em Re-Pa

POSTADO EM: Sábado, 07/04/2018, 10:37:34
ATUALIZADO EM: 07/04/2018, 10:49:57

zoom_out_map
Wagner Santana

Amanhã à tarde, Clube do Remo e Paysandu decidem o título do Campeonato Paraense, no estádio Mangueirão, em Belém, às 16h. Além do confronto decisivo em campo, que definirá de vez o grande vencedor da atual temporada do Estadual, à beira dos gramados, outro duelo também irá chamar a atenção após o apito final da partida, que é o embate direto entre os técnicos Givanildo Oliveira e Dado Cavalcanti, treinadores de Leão e Papão, respectivamente. Na somatória geral, os profissionais se enfrentaram em seis oportunidades, com quatro vitórias para Giva e duas para Dado. Em caso de um novo triunfo do comandante remista, além de manter a invencibilidade em Re-Pa à frente da equipe, o experiente treinador também manterá série invicta diante do companheiro de profissão, no choque-rei da Amazônia.

A disputa entre Givanildo Oliveira e Dado Cavalcanti começou em 2010, quando os profissionais dirigiam equipes de Pernambuco. Na ocasião, o atual comandante do Leão conquistou a primeira vitória, por 2 a 0, com o Sport em cima do Santa Cruz, ano em que foi agraciado com o título do Estadual.

Apesar dos números positivos, Givanildo Oliveira procura esquecer o retrospecto para se preocupar exclusivamente com a conquista do Paraense, neste domingo. “Eu acho não, tenho certeza, que os números devem ficar mais para vocês (imprensa). É o trabalho de vocês pesquisar, mostrar os números, situações, ano, mas para nós, não. Porque veja bem, eu estou passando no Remo hoje com um grupo totalmente diferente, que dizer...Eu só espero que esses números continuem a favor da gente, que se Deus quiser vamos ser campeões”, considerou Giva.

O treinador aproveitou para comentar sobre a vantagem do empate que a equipe azulina possui para garantir o título do Estadual. Embora importante, Giva acredita que o único benefício concreto é a vitória. “O jogo tem três resultados: uma vitória de um ou de outro, e um empate. A gente joga pelo empate. Mas isso não significa que vamos querer empatar. A equipe é a mesma e vamos em busca de mais uma vitória, porque em clássico todo mundo sabe que não tem favorito e que só o resultado positivo garante o título” esclareceu.


(Matheus Miranda/Diário do Pará)



COMENTÁRIOS mode_comment