CLÁSSICO

'Não tem como descrever o Re-Pa', diz ídolo bicolor Robgol

POSTADO EM: Sexta-Feira, 09/03/2018, 13:58:59
ATUALIZADO EM: 09/03/2018, 13:58:59

zoom_out_map
Arquivo / Diário do Pará

Entre os anos de 2003 a 2007, ele levou a torcida bicolor a loucura com seus gols, principalmente em Re-Pa e depois de encerrar a carreira, o ex-atacante do Paysandu, Robgol relembra suas participações no Superclássico da Amazônia.

Robgol chegou em 2003 para reforçar o Paysandu na Taça Libertadores da América e no seu primeiro Re-Pa, o jogador marcou dois gols e foi importante na vitória bicolor por 2 a 0, pelo quadrangular do Parazão daquele ano.

“Re-Pa não tem como descrever. Quando você entra em campo e vê a torcida adversária e depois ver sua torcida te incentivar é uma sensação muito gostosa e incentiva mais os atletas, que entram motivados para vencer”, destaca o ex-jogador.

 

Em conversa com o DOL, Robgol destaca a sensação de atuar no Superclássico da Amazônia. “Depois de marcar dois na minha estreia em clássico, cada Re-Pa se tornou natural e a cada jogo procurava sempre entrar em campo para balançar a rede, buscar a vitória e ser campeão, como foi em 2005”.

Na carreira, Robgol atuou em 11 Re-Pa’s, com quatro vitórias e sete gols marcados considerando jogos em tempo normal e disputa de penalidades.

(Diego Beckman/DOL)



COMENTÁRIOS mode_comment